conecte-se conosco

Ciência e Saúde

Vacina contra o Sarampo está disponível nas unidades básicas de saúde de Paranaguá

Serão vacinadas as crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade e trabalhadores da saúde

Publicado

em

Foto: Myke Sena/MS

Teve início na segunda-feira, dia 4 de abril, a 8.ª Campanha Nacional de Seguimento e Vacinação de Trabalhadores da Saúde contra o Sarampo e prosseguirá até o dia 3 de junho, sendo o dia D de mobilização social, dia 30 de abril.

O sarampo é uma doença infecciosa, aguda, transmissível e extremamente contagiosa, podendo evoluir com complicações e óbito, particularmente em crianças menores de um ano de idade.
Na campanha serão vacinadas as crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade e trabalhadores da saúde, no intuito de atualizar a situação vacinal contra o sarampo.

Paranaguá

Segundo informa a Secretaria Municipal de Saúde de Paranaguá, a vacinação estará disponível em todas as unidades básicas de saúde e tem o intuito de interromper a circulação ativa do vírus do sarampo no país, minimizar a carga da doença, proteger a população, além de reduzir sobrecarga sobre os serviços de saúde em decorrência de mais esse agravo.

O Ministério da Saúde também destaca no informe técnico deste ano, que a estratégia de vacinação contra o sarampo com a vacina tríplice viral foi incorporada no Programa Nacional de Imunizações (PNI) em 1992, com o propósito de controlar surtos de sarampo, reduzir internações, complicações e óbitos.

Casos

Em 2015, o Brasil havia registrado os últimos casos autóctones de sarampo e em 2016, recebeu a certificação da eliminação do vírus endêmico. Não houve confirmação de casos da doença nos anos de 2016 e 2017. Entretanto, em 2018, o vírus do sarampo foi reintroduzido no país, ocasionando um surto com 9.325 casos. No ano de 2019, 12 meses após a reintrodução mencionada, o vírus do sarampo continuava com transmissão ativa e a circulação endêmica da doença foi restabelecida no Brasil. Em 2019, 2020 e 2021, até a Semana Epidemiológica (SE) 52, foram confirmados 20.901, 8.448 e 668 casos de sarampo, respectivamente (Figura 1). Esta situação evidencia a necessidade de esforços para a interrupção da circulação viral e assim ser possível pleitear a recertificação de país livre do sarampo.

Com informações do Ministério da Saúde e Prefeitura de Paranaguá

Continuar lendo
Publicidade