conecte-se conosco

Ciência e Saúde

Paranaguá recebe investimentos do Estado para reforma da maternidade

Município também terá um Ambulatório Médico de Especialidades para atender o litoral

Publicado

em

O Governo do Paraná, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), anunciou, na quinta-feira, 24, investimentos que somam mais de R$ 36 milhões na Rede de Atenção Materno Infantil. O anúncio contempla obras para Paranaguá, com a reforma da Maternidade Maria de Lourdes Elias Nunes, anexa ao Hospital Regional do Litoral (HRL), e a criação de um Ambulatório Médico de Especialidades do Litoral (AME), na antiga Santa Casa.

Foram contemplados o Hospital Regional do Litoral (HRL), Hospital do Trabalhador, Instituto Virmond, Santa Casa de Paranavaí, Associação Beneficente de Saúde do Oeste do Paraná, Hospitais Regionais de Telêmaco Borba e do Sudoeste e os Hospitais Universitários dos Campos Gerais, do Oeste do Paraná, de Maringá e de Londrina.

A reforma da Maternidade Maria de Lourdes Elias Nunes, em Paranaguá, é uma demanda antiga da região litorânea do Estado. Serão 1.634,78 metros quadrados de área construída, que fará interligação com o Hospital Regional do Litoral (HRL). O valor total da obra é de R$ 5,59 milhões. O governo estadual também anunciou o lançamento do futuro Ambulatório Médico de Especialidades do Litoral (AME) que funcionará como parte integrante do HRL. O investimento nesta obra é de R$ 6 milhões.

“Satisfeito, grato e feliz em poder levar mais saúde e benfeitorias a nossa população”, afirmou o prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque
Foto: Divulgação/Marcelo Roque

O prefeito de Paranaguá e presidente da Associação dos Municípios do Litoral do Paraná (Amlipa), Marcelo Roque, falou em nome das prefeituras. “Esta maternidade é esperada há mais de 15 anos. Teremos agora a oportunidade de atender não só os moradores de Paranaguá, mas de todo o litoral. Além disso, o Ambulatório vai permitir que nossa população tenha atendimento especializado dentro da cidade. São praticamente R$ 11 milhões de investimento no nosso litoral”, comemorou o prefeito.

Ele também agradeceu a Sesa pelo anúncio das obras. “Faltam palavras para agradecer o trabalho desenvolvido pelo Beto Preto e toda a equipe do governador Ratinho Júnior em Paranaguá e no litoral. Satisfeito, grato e feliz em poder levar mais saúde e benfeitorias a nossa população”, afirmou o prefeito.

Atenção materno infantil

“Com estes investimentos estamos dando mais um passo no desenho de uma rede de assistência referencial às gestantes do Paraná”, disse o secretário estadual da Saúde, Beto Preto
Foto: Albari Rosa/SESA

Segundo o secretário estadual de Saúde do Paraná, Beto Preto, esses investimentos dão mais um passo no desenho de uma rede de assistência referencial às gestantes do Estado. “Tudo isso só foi possível porque lá atrás o governador Ratinho Junior nos confiou a missão de regionalizar a saúde e levar o serviço mais perto das pessoas”, afirmou Beto Preto.

O representante da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Ariel Karolinski, destacou o Paraná por priorizar o cuidado materno infantil. “A redução da mortalidade materno infantil no Paraná é resultado de diversos investimentos. A OPAS e a Organização Mundial da Saúde se colocam à disposição para ajudar o Paraná a se tornar um estado cada vez com mais saúde e bem-estar para todas as mães, bebês e crianças”, disse.

Equipamentos 

Os investimentos anunciados aos municípios do Paraná incluem equipamentos de última geração, como 14 sistemas e equipamentos de ultrassom, dois conjuntos de endoscópicos, torre de laparoscopia, 20 computadores para os Núcleos de Vigilância Epidemiológica Hospitalar e recursos para aquisição de ultrassons para Atenção Primária à Saúde, repassado diretamente para os municípios. Somados, esses recursos chegam a R$ 18,67 milhões.

Partos de risco

Além disso, houve também um aumento no repasse para parto de risco habitual (de R$ 200,00 para R$ 400,00 por parto), partos de risco intermediário (de R$ 320,00 para R$ 640,00) e partos de alto risco (de R$ 100 mil/mês para R$ 120 mil ou R$ 130 mil/mês para cada hospital). Somente no ano passado, foram repassados R$ 7,6 milhões para estes serviços e agora o repasse deve ultrapassar R$ 13,2 milhões – acréscimo de mais de R$ 5,59 milhões.

Para qualificar ainda mais o serviço, o Estado também investiu na bolsa de pós-graduação de enfermagem obstétrica, ofertada pela Escola de Saúde Pública do Paraná, passando de R$ 399,6 mil para R$ 492,7 mil (10 bolsas) e especialização em enfermagem obstétrica, com previsão orçamentária de R$ 267,3 mil para 40 alunos, durante todo o curso. Ao todo, serão R$ 760 mil em especializações.

Com informações da AEN