conecte-se conosco

Ciência e Saúde

Macrorregião leste do Paraná chegou a 97% de ocupação de leitos de UTI do SUS

Últimos dados são de 3 de junho e alertam para situação dos hospitais

Publicado

em

Foto: Foto: Geraldo Bubniak/AEN

De acordo com dados divulgados pela Diretoria de Gestão em Saúde, da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (Sesa), em toda a macrorregião leste do Paraná, dos 757 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) adulto disponíveis nos hospitais públicos, 738 estavam ocupados até o dia 3 de junho. Ou seja, atingiu 97% da capacidade de atendimento.

A macrorregião leste engloba o Hospital Regional do Litoral (HRL), em Paranaguá, e também hospitais localizados em Campina Grande do Sul, Campo Largo, Curitiba, lapa, São José dos Pinhais, Araucária, Castro, Ponta Grossa, Irati, Guarapuava, Laranjeiras do Sul, União da Vitória e Telêmaco Borba.

Assim como tem sido observada a situação de sobrecarga nos hospitais em várias regiões do País nas últimas semanas, no Paraná não tem sido diferente. O HRL, único hospital com UTI do SUS no litoral, também estava com 100% dos leitos de UTI adulto ocupados na data do dia 3 de junho. O índice não inclui leitos exclusivos para Covid-19.

Todos os 30 leitos disponíveis no litoral (entre 14 habilitados e 16 contratados) estavam ocupados até a data, de acordo com o sistema de informação da Sesa. Dos leitos exclusivos para Covid-19, apenas um estava ocupado. Na semana passada, a taxa de ocupação de leitos de UTI em cinco hospitais de Curitiba chegou a 100%. 

Situação em outras regiões

O Estado vizinho de Santa Catarina decretou, recentemente, estado de emergência na saúde. A decisão se deve ao aumento nos casos de síndrome respiratória, com a superlotação nos hospitais e da sobrecarga nos postos de atendimento médico. No entanto, o Estado comunicou que a situação é explicada pelo aumento de doenças respiratórias associadas ao outono e ao inverno, e não está relacionado aos casos de Covid-19.

Emergências de hospitais e pronto-atendimentos de Porto Alegre também têm enfrentado problemas relacionados ao alto número de atendimentos. No sábado, em alguns hospitais, o índice de ocupação ultrapassou 200%, conforme informações divulgadas pela Secretaria Municipal da Saúde.

Fonte: AEN