Connect with us

Ciência e Saúde

Especialista em Ginecologia e Obstetrícia explica o que são as DSTs

Dra. Angela Maria Moser é especialista em Ginecologia e Obstetrícia, graduada pela Faculdade Evangélica de Medicina do Paraná, possui Mestrado em Medicina Interna pela Universidade Federal do Paraná

Publicado

em

Especialista em Ginecologia e Obstetrícia explica o que são as DSTs

Neste espaço do Momento Saúde Unimed Paranaguá, Dra. Angela Maria Moser explica o que são as DSTs (doenças sexualmente transmissíveis), hoje chamadas de IST (Infecções Sexualmente Transmissíveis), pois o indivíduo pode transmitir sem sinais e sintomas. Dra.  Angela destaca quais as mais comuns, como são transmitidas, tratamento e como se prevenir.

De acordo com as informações repassadas, algumas são de fácil resolução e tratamento, outras podem continuar ativas, sem sintomas podendo evoluir para complicações graves, por isso a necessidade de procurar um médico.  

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima a ocorrência de mais de um milhão de casos de IST por dia no planeta. Ao ano, estima-se aproximadamente 357 milhões de novas infecções.  Confira:

O que é DST e quais as mais comuns?

Dra. Angela: São as doenças de transmissão sexual, hoje chamadas de IST (Infecções Sexualmente Transmissíveis), pois o indivíduo pode transmitir sem sinais e sintomas. As mais comuns são: Tricomoníase, Clamydia, Sífilis, Gonorreia, Herpes Genital, AIDS e HPV.

Como são transmitidas?

Dra. Angela: As DST são causadas por vários tipos de agentes agressores: vírus, bactérias e outros micro-organismos. São transmitidas por contato sexual (oral, vaginal ou retal) de uma pessoa que esteja infectadas e, geralmente, se manifestam por meio de feridas, corrimento, bolhas ou verrugas. De maneira menos comum, podem ser transmitidas por meio não sexual, pelo contato de mucosas ou pele não íntegra com secreções corporais contaminadas. Algumas são de fácil resolução e tratamento, outras podem continuar ativas, sem sintomas podendo evoluir para complicações graves.

Como é possível se prevenir?

Dra. Angela: A prevenção primária é pelo uso de preservativo, feminino ou masculino. Também existem ações de prevenção através de vacinas para HPV e Hepatite B; testagem rápida para HIV, Sífilis e Hepatites virais B e C; profilaxia pós-exposição para HPV e Hepatite B; prevenção da transmissão vertical (amamentação ou parto vaginal) de HIV, Sífilis e Hepatite B.

Leia também: Profissionais são capacitados para registro de doses aplicadas contra a Covid-19