conecte-se conosco

Ciência e Saúde

Dois moradores do litoral morrem por Influenza H3N2

Vítimas foram homem de 88 anos e mulher de 43 anos que residiam em Matinhos

Publicado

em

Foto: Geraldo Bubniak/AEN - Arquivo

Na terça-feira, 1.º, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou novo informe epidemiológico sobre a situação da Influenza H3N2 em todo o Paraná. Segundo os dados, o último boletim apontou o falecimento de dois moradores do litoral devido à doença. Ambos residiam em Matinhos: um homem de 88 anos e uma mulher de 43 anos que vieram a óbito nos dias 24 e 25 de janeiro. Nesta semana, dois novos casos da H3N2 foram contabilizados nos sete municípios litorâneos, entre eles um diagnóstico positivo em Paranaguá e outro em Pontal do Paraná.

Até o presente momento, o litoral paranaense contabilizou 71 casos de H3N2. Os positivados residiam em Antonina (3), Guaraqueçaba (1), Guaratuba (3), Matinhos (5), Morretes (2), Paranaguá (54) e Pontal do Paraná (3). Entre o fim de 2021 e início de 2022, sete pessoas que residiam no litoral paranaense faleceram devido à H3N2, entre eles cinco moradores de Paranaguá de 58, 72, 76, 77 e 79 anos, entre eles três mulheres e dois homens, assim como os dois moradores de Matinhos que vieram a óbito e foram divulgados no último boletim. Segundo o informe da Sesa, nenhum deles havia tomado a vacina contra a Influenza.

Paraná e epidemia da H3N2

Segundo a Sesa, o último informe desta terça-feira, 1.º, confirmou mais 212 novos casos e 11 óbitos em decorrência da H3N2 no Paraná. As informações foram extraídas por meio do Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL). “A doença é um tipo do vírus da Gripe Influenza A e desde dezembro já registrou 1.862 casos e 66 mortes. Os novos óbitos foram registrados em Jaguapitã (1), Jundiaí (1), Matinhos (2), Palotina (1), Perobal (1), Campo Mourão (1), Jacarezinho (1), Maringá (1), Pinhais (1), Curitiba (1) e também de um residente de Jundiaí, no Estado de São Paulo”, acrescenta.

“Seguimos monitorando os casos de H3N2 no Paraná, que tem se intensificado neste começo de ano. Esse monitoramento é muito importante para avaliarmos a evolução do estado epidêmico no Paraná e, com isso, utilizarmos das melhores ferramentas para contê-lo”, ressalta o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

De acordo com a pasta, no dia 12 de janeiro foi declarado estado de epidemia da Influenza H3N2 no Paraná, visto o contágio rápido, direto e indireto da enfermidade. “Normalmente o vírus da gripe circula durante os períodos mais frios, porém, este ano a infecção pela doença aumentou no verão, de maneira atípica”, informa a assessoria da Sesa.

“Reforçamos a importância da vacinação da Influenza, pois ela protege contra a maioria dos vírus circulantes de gripe. Além disso, os cuidados como uso de máscara, higienização das mãos e álcool em gel seguem como medidas essenciais de prevenção para conter a disseminação do vírus”, finaliza Beto Preto. 

Com informações da Sesa