conecte-se conosco

Ciência e Saúde

71 casos de Dengue são confirmados no litoral na última semana

O litoral do Paraná tem 544 casos em investigação da doença, além de duas notificações de Chikungunya

Publicado

em

Foto: Ilustrativa / Freepik

Na terça-feira, 24, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou o Informe Epidemiológico sobre a situação da dengue em todo o Paraná.

Segundo os dados técnicos, neste boletim o litoral paranaense contabilizou 71 novos casos de Dengue, doença causada pelo mosquito Aedes aegypti. Além disso, foi confirmado o primeiro óbito por complicações da enfermidade no litoral. A análise abrange o período entre o dia 17 a 24 de maio.

De acordo com o informe, são mais 11 óbitos no Estado e 11.464 novos casos, um aumento de 20,40% em relação aos números do boletim da semana anterior.

Os dados são do 39.º Informe Epidemiológico, do novo período sazonal da doença, que iniciou no dia 1.º de agosto de 2021 e deve seguir até julho de 2022.

Litoral

No informe divulgado pela Sesa, o município de Morretes não registra casos confirmados da doença causada pelo mosquito Aedes aegypti, desde agosto de 2021. Ao todo, o litoral contabiliza 696 casos, sendo Matinhos (518); Pontal do Paraná (88); Paranaguá (62); Guaratuba (24); Antonina (3) e Guaraqueçaba (1).

Segundo o documento, o litoral segue com um óbito por consequência da Dengue, desde que iniciou o período sazonal da doença, em agosto de 2021. De acordo com o boletim da Sesa, o óbito foi registrado na cidade de Matinhos.

O litoral do Paraná tem 544 casos em investigação da doença, sendo: Pontal do Paraná (312); Paranaguá (131); Matinhos (38); Guaratuba (41); Antonina (15) e Morretes (7).

O Informe Epidemiológico n.º 39/2021-2022 da Secretaria de Estado da Saúde indica que no litoral há duas notificação febre Chikungunya (1) Matinhos e (1) Paranaguá,  e não consta notificação de Zika Vírus.

Paraná

Atualmente, o Paraná contabiliza 32 mortes e 171.361 casos notificados, com 67.655 confirmações, desde o início do atual período sazonal da doença, em agosto de 2021. As pessoas que morreram residiam em Pitanga, Pato Branco, Matelândia, Arapongas, Foz do Iguaçu, Cafelândia, Cianorte, Maringá, Londrina, e Cornélio Procópio. São quatro mulheres e sete homens entre 41 e 90 anos. Os óbitos ocorreram entre os dias 1.º de abril e 14 de maio de 2022.

Dos 382 municípios que registraram notificações de dengue, 335 confirmaram a doença, sendo que em 298 deles há casos autóctones, ou seja, a dengue foi contraída no município de residência dos pacientes.

“O cenário do aumento de casos e óbitos é em todo Brasil e no Paraná não é diferente. O momento é de cuidado e lembramos sobre a importância da prevenção. É necessário que a população não se esqueça de reforçar os cuidados em casa. Alguns minutos por semana dedicados a eliminar focos do mosquito Aedes aegypti podem salvar vidas.

Prevenção

Eliminar o mosquito da Dengue é fundamental, assim como a informação sobre a doença, de como ela é adquirida e como evitar a transmissão. Atividades com os agentes de combate a endemias, a coleta de dados, os trabalhos de campo das equipes especializadas, as ações educativas junto à população, as capacitações e treinamentos de servidores e agentes de saúde são condutas efetivas e que mobilizam o sistema de saúde pública. No entanto, a participação da população é essencial para a eliminação dos criadouros do mosquito, já que a maioria está localizada em terrenos e residências.

Com informações da Sesa