conecte-se conosco

Ação Social

Equipe da Feira da Partilha visita sede em construção do Projeto Social Ágape

Em fase final de construção, espaço está sendo viabilizado com recursos da Feira

Publicado

em

Na tarde da quinta-feira, 12, representantes do projeto Feira da Partilha, que acontece anualmente com doações de mercadorias apreendidas pela Receita Federal para angariar recursos por entidades sociais de Paranaguá e do litoral, visitaram a sede em construção do Projeto Social Ágape, uma das instituições beneficiadas pela Feira. A idealizadora da Feira da Partilha, Regina Daux, esteve no prédio, na região do Jardim Alvorada em Paranaguá, junto à coordenadora, Lisangela Faucz, ao presidente do Projeto Social Ágape, pastor Nivaldo Cavallari, da Primeira Igreja Batista (PIB), bem como à coordenadora pedagógica da entidade, Selma Camargo Meira, e à tesoureira, Ana Paula Souza Silva Paes.

“A gente concedeu este terreno ao Projeto Social Ágape em 2005 e ficou parado por um tempo, sendo agora retomada em 2019 as obras, que estão na parte de finalização. Estamos muito contentes, o prédio está ficando ótimo. Desde os projetos que as entidades encaminha à Receita Federal, após aprovados, são doados proporcionalmente o valor em mercadorias, e a gente faz a feira e transforma isso em recursos para cada iniciativa”, afirma Regina Daux, ressaltando que o instituição participa há três edições da Feira da Partilha, com recursos angariados utilizados para que a obra se tornasse realidade.

Nivaldo Cavallari, presidente do Projeto Social Ágape, explica que a instituição atua desde 2008 com crianças em situação de risco, com foco naqueles que passaram por abuso, constrangimentos e privação social, sendo encaminhadas pelo município e Conselho Tutelar à entidade, com apoio pedagógico e psicológico. “Trabalhamos com voluntários trabalhando com as crianças e com foco também em alcançar as famílias, no intuito de solucionar problemas que estão trazendo violência às crianças”, acrescenta, destacando que o projeto deverá retomar as atividades em breve, algo que ocorrerá provisoriamente em uma casa reformada cedida pela Igreja Batista Memorial, porém, com a pandemia, tudo teve que ser paralisado. “Agora, em negociação com a Secretaria de Assistência Social (Semas), estamos pensando em retomar as atividades em breve, entre 15 dias a um mês, assim que sair o convênio”, explica.

A obra atualmente está sendo encaminhada para fase final de construção, sendo um prédio com dois andares, com diversas salas e auditório, tudo sendo viabilizado com recursos da Feira da Partilha, bem como apoio das empresas Cattalini, Rocha e da Construtores Voluntários (COVU) da denominação Batista. A entidade nasceu filiada à PIB, mas atualmente conta com CNPJ e presta serviços à sociedade parnanguara.

A coordenadora da Feira da Partilha, Lisangela Faucz, explica a importância da feira para conceder recursos a diversos projetos sociais de Paranaguá e do litoral. “Nós gostamos de acompanhar os projetos, para saber se está sendo executado o que está sendo pedido”, salienta sobre a visita, destacando que neste ano houveram 23 projetos envolvidos na Feira neste ano. “A Receita Federal é muito preocupada no retorno à sociedade daquilo que foi desviado, ajudando pessoas que estão precisando”, explica.

A coordenadora pedagógica do Projeto Social Ágape, Selma Meira, explica que a entidade atende crianças que passaram por processo de violência física e sexual na faixa etária de 6 anos a 13 anos e 11 meses. “O nosso trabalho ocorre por oficinas, com dança, música, culinária, reforço escolar”, salienta, ressaltando o trabalho em prol da autoestima e resgate da esperança das crianças, frisando também, em paralelo, o programa de apadrinhamento afetivo que será retomado junto ao Judiciário.