conecte-se conosco

Economia

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) apresentou na segunda e terça-feira, 7 e 8, em Guarapuava e Ponta Grossa, os investimentos p

Além dos investimentos públicos, outros R$ 5,1 bilhões em investimentos privados já estão em andamento

Publicado

em

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) apresentou na segunda e terça-feira, 7 e 8, em Guarapuava e Ponta Grossa, os investimentos públicos e privados para melhorar a logística de exportação e importação na safra 2017. Cerca de duas mil pessoas – entre empresários, produtores rurais, representantes de cooperativas, de federações, das indústrias e das Associações Comerciais – participaram nas duas cidades do 12.º Ciclo Paranaense de Palestras.
“São investimentos em infraestrutura que totalizam R$ 600 milhões e têm como objetivo reduzir os gargalos e possibilitar maior agilidade e economia no escoamento da safra 2017”, afirmou, em Ponta Grosa, o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho.
O diretor-presidente da Appa, Luiz Henrique Dividino, falou sobre os gargalos da logística no Brasil e sobre os avanços obtidos nos Portos do Paraná. Segundo ele, recursos de aproximadamente R$ 423 milhões serão aplicados nos próximos dois anos, totalizando R$ 934,9 milhões. Os investimentos públicos futuros serão para projetos de infraestrutura e ações contínuas de manutenção e dragagem.

PERSPECTIVAS DA ECONOMIA

O economista Gustavo Loyola foi o palestrante do 12.º Ciclo Paranaense de Palestras. Ele abordou as perspectivas da economia brasileira e o cenário econômico internacional.
Para Loyola, que é doutor em Economia pela Fundação Getúlio Vagas e foi presidente do Banco Central (BC) em duas ocasiões, a crise econômica do Brasil tem origem política. No entanto, a avaliação do economista é otimista. Entre seus apontamentos, ele acredita que o País precisa expandir a sua capacidade produtiva para atrair novos investimentos e oportunidades.
“Cenários como os que foram apresentados pela Administração dos Portos, por exemplo, favorecem novos investimentos e ajudam a fortalecer a economia no País”, declarou Loyola.
Ele acredita que os sinais vitais da economia brasileira estão melhorando. “Todos estão mais otimistas com a economia. A produção industrial e a produção de veículos estão melhorando e temos indicadores da retomada moderada do crescimento do PIB em 2017 e 2018”, mencionou Loyola.

COMPROMISSO

Entre os investimentos dos Portos do Paraná foram apresentados no 12.º Ciclo Paranaense de Palestras as campanhas de dragagem, a primeira reforma do cais do Porto de Paranaguá, melhorias viárias, o fim das filas de caminhões, a modernização do sistema de conferência de cargas e a aquisição de equipamentos como os quatro novos shiploaders, dez novos guindastes, novas balanças para pesagem de caminhões, tombadores, scanners e a construção de novas guaritas e novos acessos ao Pátio de Triagem de caminhões.

 

A implantação do Appa WEB (Porto Sem Papel), a nova iluminação (em LED) da Avenida Portuária, trouxeram maior agilidade e segurança para operações noturnas. Estes investimentos possibilitaram um ganho de produtividade de 33% no corredor de exportação e de quase 60% nas operações portuárias.
Na área de meio ambiente, a Appa concluiu o Centro de Proteção Ambiental das Baías de Paranaguá e Antonina (CPA) – primeira base do Brasil, localizada em porto público, e que integra o atendimento à fauna petrolizada com o atendimento a emergências ambientais envolvendo derramamentos químicos e de óleo.

MODERNIZAÇÃO

Somando-se a isso, já foram licitados R$183 milhões para modernização dos berços 201 e 202 e ampliação em 100 metros do cais do berço 201 – sentido Oeste. Os projetos dos novos píeres já estão prontos, além da ampliação do Pátio de Triagem. Outro avanço é no planejamento. O Governo do Paraná concluiu o Plano de Desenvolvimento do zoneamento portuário (PDZPO), que permitirá o arrendamento de novas áreas.

INVESTIMENTOS PRIVADOS

Além dos investimentos públicos, outros R$ 5,1 bilhões em investimentos privados já estão em andamento nos Portos do Paraná. Os projetos incluem novos terminais e arrendamentos, renovações de contratos e rearrendamentos de áreas públicas.
“O Porto hoje é o grande indutor de investimento do Estado e, justamente por isso, estamos ampliando as discussões sobre a modernização de ferrovias e rodovias”, declarou o diretor-presidente da Appa, Luiz Henrique Dividino.
O plano de investimentos previstos pela Appa para os portos do Estado prevê um cenário até 2030. Neste período, a demanda de movimentação de cargas no Paraná deverá saltar das atuais 45 milhões de toneladas para 83 milhões de toneladas.
Na próxima semana, o 12.º Ciclo Paranaense de Palestras será em Foz do Iguaçu, Cascavel e Campo Mourão.

Publicidade






Em alta

plugins premium WordPress