Connect with us

Paraná Empreendedor

Nova unicórnio curitibana é fruto de política pública

Madeira Madeira participa do programa Tecnoparque de Curitiba, criado para incentivar a pesquisa e o desenvolvimento tecnológico nas empresas, visando a inovação e a geração de empregos

Publicado

em

Empresas têm obrigação de proteger dados do cidadão cliente

Madeira Madeira, uma empresa startup curitibana, virou notícia nacional e internacional neste início de ano ao tornar-se a 16ª unicórnio no Brasil — a segunda de Curitiba e a primeira do Programa Tecnoparque. Unicórnio é uma denominação típica para empresas de tecnologia que alcançam a avaliação de 1 bilhão de dólares.

A empresa, que desenvolveu uma plataforma de produtos para a casa, tornou-se referência ao receber um aporte de 190 milhões de dólares de um fundo.

Pelo Tecnoparque, criado em 2007 por Lei Complementar, o município permite regime diferenciado de tributação, reduzindo de 5% para 2% o Imposto Sobre Serviços (ISS), com o intuito de incentivar a pesquisa e o desenvolvimento tecnológico nas empresas, visando a inovação e a geração de empregos.

Afirmo sempre que os entes federativos devem ajudar os empreendedores que buscam melhorar a competitividade e trazer soluções e produtos inovadores ao mercado. O Paraná criou o programa “Paraná Competitivo”, que tem atraído de forma ousada novas empresas e apoiado a manutenção e a ampliação das já instaladas. O bom resultado contribuiu para a ampliação do parque produtivo na última década, descentralizando o crescimento para o interior.

Desde 2017 o programa incentiva também o e-commerce nas empresas paranaenses, que ao vender suas mercadorias ao consumidor final de outros estados recebem crédito de ICMS nas operações interestaduais. A redução na tributação do faturamento melhora significativamente o orçamento dessas empresas.

O programa tem sido atualizado e torna o Paraná cada vez mais competitivo ao proporcionar um ambiente de negócios amigável ao empreendedor. Com incentivos fiscais estaduais e municipais e sistema de fomento disponível, cria-se condições para que o empreendedor alcance seus objetivos de rentabilidade, o que se reverte em geração de empregos e melhoria da renda.

A atividade comercial não será a mesma após a pandemia, com a mudança de comportamento da sociedade, os novos hábitos de compras e novas ferramentas tecnológicas. Vivemos novos tempos, que exigem nova mentalidade de empresários e de gestores públicos. O Paraná está fazendo a sua parte nos setores público e privado.

Juraci Barbosa é advogado e consultor empresarial

Leia também: Cacatu, a porta de entrada dos japoneses ao Paraná