Connect with us

Maçonaria

As Catedrais Góticas

A palavra Maçom significa construtores. Os Maçons da antiguidade construíram um estilo gótico artístico que predominou na Europa ao final da Idade Média

Publicado

em

A palavra Maçom significa construtores. Os Maçons da antiguidade construíram um estilo gótico artístico que predominou na Europa ao final da Idade Média (de meados do XII aos inícios do XVI), notável pela arquitetura das catedrais, com arcobotantes, arcos e abóbadas ogivais, formas esguias e grandes vitrais, eram conhecidos como os que ergueram as mais notáveis construções.

Estamos falando dos Maçons Construtores, não falamos sobre os Maçons Livres atuais  porque são tantas  as controvérsias, que surgiram variadas correntes dentro da Maçonaria. A origem mais aceita, segundo a maioria dos historiadores, é que a Maçonaria Moderna descende dos antigos construtores de igrejas e catedrais, corporações formadas sob a influência da Igreja na Idade Média.

Nas pedreiras de antigamente, o trabalho de cortar, desbastar e lavrar pedras era uma atividade de caráter iniciático. Trabalhava-se com maço, ponteira e cinzel em etapas distintas, conforme se quisessem pedras para alicerce, para parede ou para acabamento. Cada tipo de pedra era trabalhado por operários especialmente treinados para cada finalidade específica. Daí as graduações que se estabeleceram entre aprendizes e profissionais. Mais tarde, a atividade do artesão do maço (o maçom), evoluiu para um tipo mais sofisticado de trabalho, que já se podia chamar de arte. Foi quando ele começou a tirar da pedra outras formas, imitando a natureza no seu trabalho de formatação das realidades físicas. Esse tipo de trabalho demonstrava que o homem possuía uma inteligência criadora e que sua consciência podia ser refletida na natureza através das obras de suas mãos.

A construção de igrejas Góticas, pela mística que nelas se imprimia, era o que mais se prestava a produzir nos seus construtores Maçons uma sensação de mágica transcendência, que os fazia crer serem eles os canais pelos quais fluía a própria inteligência divina. Na construção daqueles edifícios monumentais, os artistas da pedra acreditavam repetir o trabalho de Deus na construção do universo.

Quando a Maçonaria praticada por mestres operativos evoluiu para o especulativo, e mais tarde, quando o especulativo integrou a sua liturgia as tradições do Hermetismo e da Gnose, a mística da profissão do construtor aliou-se ao encantamento próprio da prática alquímica e ao apelo emocional contido na mensagem gnóstica. Se anteriormente, o oficio de construtor se realizava num domínio que era antes de tudo religioso e social, passou, depois disso, a preencher um vasto campo no domínio filosófico e espiritual, pois a especulação, mais que a prática pura e simples de uma arte, ou uma técnica, exige mais da sensibilidade do artista do que a razão e a habilidade física requerem dele.

Era um aprendizado de filosofia moral em busca de um êxtase espiritual que a cadeia iniciática da Maçonaria iria proporcionar aos que nela se iniciavam. Nascia assim, a Maçonaria moderna, aprendizado que combina a mística das grandes aventuras do espírito com a filosofia e a prática da ação social construtiva e inovadora, deixavam assim para a história essas construções góticas fantásticas para a humanidade.

Yassin Taha

Dep. Federal GOB