conecte-se conosco

Legendado

“O PODER DO VOTO”

Na coluna desta semana abordaremos a animadora alta de registro de novos títulos de eleitor, verificada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Publicado

em

legendado

Na coluna desta semana abordaremos a animadora alta de registro de novos títulos de eleitor, verificada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Findou-se na data de 4 maio o prazo para regularização, mudança de município e novos títulos de eleitor.

A Tribunal Superior Eleitoral, verificou, com grau de felicidade, uma alta de 47,2%, que se configura em 2 milhões de novos títulos de eleitor, para jovens que possuem a idade de 16 a 18 anos.

O Ministro Luiz Edson Fachin, entusiasmado, declarou: “No dia 2 de outubro, [esses jovens novos eleitores] poderão comparecer às urnas para exercer o nobre e digno direito do voto”, ao dizer que os números são “animadores”.

Alguns podem se questionar qual a importância de tais dados. A resposta é que, tais dados, demonstram que o jovem brasileiro está diretamente engajado à vida política, e desejam votar com a esperança de mudança do país.

É importante salientar que o direito ao voto é uma expressão de democracia participativa, que é aquela em há o exercício de poder direto do povo, como se expressar no voto, para a escolha do governante.

O sociólogo Carlos Eduardo Sell ensina que: “A democracia participativa preserva a realidade do Estado – e a Democracia Representativa. Todavia, ela busca superar a dicotomia entre representantes e representados recuperando o velho ideal da Democracia Direta Grega: a participação ativa e efetiva dos cidadãos na vida pública.” 

Portanto, a notícia de uma procura de jovens com o interesse de exercício democrático tem que ser recebida com muita alegria, tendo em vista que a participação popular é uma maneira de fortalecer a democracia, que anda tão atacada no cenário atual, com o escancarado desrespeito às instituições.

O Que se pede, é que o poder do voto, seja usado pra combater. Combater o descaso da saúde pública, os super salários, as regalias infindas, o descaso com o piso salarial dos servidores públicos (principalmente na saúde), o nepotismo cruzado ou direto, o descaso com a coisa pública, a roubalheira, a falta de oxigênio, a demora para a compra da vacina, e principalmente, o deboche diário com a cara da população que paga impostos e não pode contar com os serviços pelos quais paga, caro.

Desta forma, celebremos o direito ao voto, ao direito de escolha, e ao Estado Democrático de direito. Vote consciente!

Brasil, 06 de maio de 2022, 662 mil mortes por COVID-19, e 13,9 milhões de desempregados, e epidemia da Influenza H3n2.

Por Paulo Henrique de Oliveira

Com a contribuição da Advogada Lívia Moura

Paulo Henrique de Oliveira é mestrando em administração pública, pós-graduado em direito administrativo, com MBA em gestão pública, extensões em ciências políticas, direito eleitoral e ciências sociais, e graduações nas áreas de administração de empresas, gestão de negócios, ciências políticas, e direito. É o Vice-Presidente do Podemos no Estado do Paraná, Ex Secretário de Saúde de Paranaguá, e atual Secretário de Saúde de Matinhos.

Continuar lendo
Publicidade