Connect with us

Legendado

DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE

Sem ter o que comemorar, o Brasil “comemorou” o dia mundial do Meio Ambiente. Após uma sucessão de escândalos envolvendo o mais alto escalão governamental brasileiro, e com números estratosféricos acerca do desmatamento, ambientalistas se reuniram em diversas cidades para protestar por mais responsabilidade às questões ambientais no país

Publicado

em

Sem ter o que comemorar, o Brasil “comemorou” o dia mundial do Meio Ambiente. Após uma sucessão de escândalos envolvendo o mais alto escalão governamental brasileiro, e com números estratosféricos acerca do desmatamento, ambientalistas se reuniram em diversas cidades para protestar por mais responsabilidade às questões ambientais no país. Se considerarmos os motivos que levaram à criação do Dia Mundial do Meio Ambiente, em 1974, como desmatamento, desertificação, utilização de químicos tóxicos, e mudanças climáticas, não há avanços que possamos considerar significativos, seja em termos de governança global ou de políticas públicas em níveis locais, e isso teve um agravo ainda mais severo no Brasil nos últimos anos. Não há, portanto, o que comemorar nesse sentido. Mas, como todas as datas estabelecidas internacionalmente pelos movimentos populares ou ressignificadas pelos mesmos, o Dia Mundial do Meio Ambiente deve ser um dia de conscientização. Não apenas da esfera política, mas da sociedade como um todo. Constantemente presenciamos o acúmulo de lixo nas vias públicas, o descarte de restos de podas de árvores, de resíduos de construção civil, e até mesmo de móveis inservíveis. 

Há ainda que se falar na responsabilidade, ou falta dela, por parte da indústria, não apenas no quesito poluição, mas também na destinação de resíduos sólidos. E aqui sim, cabe uma dura crítica às esferas governamentais, tanto pela omissão na fiscalização destes crimes ambientais, quanto na falta de criação de políticas públicas efetivas para a promoção do meio ambiente.

Todavia, o Meio ambiente, não pode ser tratado apenas como política pública. Precisa de consciência ambiental da população, da sociedade civil organizada, pelas administrações públicas, pela classe empresarial e industrial, e principalmente pelos políticos, pagos pela população para elaboração de leis que protejam, também o meio ambiente.

Pouco ou nada se vê sobre proteção animal em esferas federais, e os índices de maus tratos de animais domésticos, e de tráfico de animais silvestres, são os maiores da história da República.

Não se pode omitir à pauta, a importância do Brasil para o restante do mundo. Conhecido como o celeiro do planeta, o Brasil ocupa destaque mundial em áreas agricultáveis, e, para isso, depende diretamente da conservação de solo, nascentes, ar, clima, e outros fatores relacionados. Como se produzirá daqui a 50 anos, se o solo continuar sendo devastado em atenção aos números do desmatamento dos últimos 05 anos? A evolução dessa elaboração no ambientalismo mundial também tem a ver com seu desenvolvimento a partir das comunidades e populações mais atingidas pelo modelo predatório, que ainda concentra a imagem de seu maior rival, o ser mais predador ao meio ambiente de todos os tempos: O próprio homem. 

“ Restam outros sistemas fora do solar a colonizar.

Ao acabarem todos, só resta ao homem, (estará equipado?)

a dificílima dangerosíssima viagem, de si a si mesmo:

pôr o pé no chão do seu coração, experimentar, colonizar, 

civilizar, humanizar o homem, descobrindo em suas próprias 

inexploradas entranhas, a perene, insuspeitada alegria, de con-viver.”

O homem; as viagens. Carlos Drummond de Andrade

Paulo Henrique de Oliveira é mestrando em administração pública, pós-graduado em direito administrativo, com MBA em gestão pública, extensões em ciências políticas, direito eleitoral e ciências sociais, e graduações nas áreas de administração de empresas, gestão de negócios, ciências políticas, e direito. É o Executivo do Podemos no Estado do Paraná, Ex Secretário de Saúde de Paranaguá, e atual Secretário de Saúde de Matinhos.

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.