conecte-se conosco

Espaço Poético

ÚNICOS NO JEITO DE AMAR

Publicado

em

Eles se tornaram distantes,
Eram olhos que não se procuravam,
Mãos que não se tocavam,
Eram dois corações diferentes.
Eles se escapavam no desejo
De se encontrar em um lugar
Dos quais ambos
Ignoravam a morada.
E assim, começaram a vaguear
Entre as luzes do sol e da lua,
Sem meta nem destino certo.
Eram dois corações…
Dois corações,
Não mais um.
Um que bate
Em uníssono,
Pulsando para os dois viverem,
Assim continuaram a perder tempo
À procura um do outro,
Sem se encontrar.
Quanta perda de tempo,
Tantos desacertos.
Cotidianos diferentes e longínquos.
Mas tão parecidos na arte de amar,
De se amar.
Eram dois malditos sentimentais.
Foram tão tolos, porém
Descobriram-se únicos no jeito de amar.

Autoria: Juciane Afonso

Publicidade










plugins premium WordPress