Connect with us

Cultuando

Arte Pensante

Paranaguá, o nosso querido berço da civilização paranaense é um celeiro de tradições e que transpira e aspira por cuidados por todos os lados

Publicado

em

Paranaguá, o nosso querido berço da civilização paranaense é um celeiro de tradições e que transpira e aspira por cuidados por todos os lados, em virtude pesquisando para um trabalho de restauração encontrei esse texto do citaliarestauro.com que penso vem a ser útil para o momento. Patrimônio envolve monumentos, tradições, passado, mas também arte, inovação, presente e futuro. Esta dicotomia entre passado e presente deve ser preservada porque ela é a memória, a identidade de um povo. O Patrimônio identifica um povo e os seus bens materiais ou imateriais. De valor coletivo e intemporal devem ser cuidados como elementos fundamentais da sociedade e da cultura. A memória coletiva é a herança dos nossos antepassados que deve ser transmitida às gerações futuras.

Conservação preventiva | origem do conceito

Em finais do século XX, Gary Thomson, conseguiu mostrar a importância de controlar o meio ambiente das coleções ao afirmar que (“um mau restaurador pode destruir um objeto num mês. Um mau conservador pode destruir uma coleção inteira num ano”). Gäel de Guichen, por sua vez, vai acrescentar mais um dado a esta questão em volta da preservação do passado. Ele foi o primeiro a usar a expressão conservação preventiva. Segundo este autor, onde ontem se observavam objetos, hoje observam-se coleções de interesse social e patrimonial. Para Guichen a conservação preventiva significa retirar peças da insegurança, através de um conjunto de atitudes destinadas a salvaguardar uma coleção ou um objeto. A aplicação destas atitudes depende de alguns pressupostos. São eles: Estes pressupostos conjugados com os conhecimentos científicos permitem uma atuação correta junto dos objetos, a qual pode ser direta ou indireta. Portanto, intervenções sobre as peças são consideradas atuações diretas, mas atuações como o controlo de luz, temperatura, humidade relativa (HR), regulamento interno, plano de segurança, plano de conservação preventiva, definição de espaços, hierarquias e tarefas são intervenções indiretas. Veja o artigo sobre gestão de riscos. A conservação preventiva consiste em ações indiretas que retardam a deterioração e previnem estragos através da criação de condições óptimas para a preservação de legado patrimonial tanto quanto possível. Essas ações passam pelo correto manuseamento, transporte, armazenamento ou exposição, bem como produção de cópias com o intuito de preservar a peça original. A ideia subjacente à conservação preventiva é, portanto, acautelar. Acautelar problemas na preservação de espólios. E este pressuposto, inerente à conservação preventiva, abarca todos aqueles que, direta ou indiretamente, lidam com peças de valor patrimonial e cuja ação visa valorizar, salvaguardar e divulgar o património.