Connect with us

Cultuando

A Arte do Grafite

Passeando pelo Centro Histórico da cidade de Paranaguá, observamos a existência de vários casarios sem a devida conservação preventiva

Publicado

em

Passeando pelo Centro Histórico da cidade de Paranaguá, observamos a existência de vários casarios sem a devida conservação preventiva ou restauro, em virtude fiquei a imaginar como seria belo se os proprietários permitissem que os artistas locais interferissem nessas fachadas pintando as suas obras, seria o que hoje se conhece por Grafite.

A arte do grafite é uma forma de manifestação artística em espaços públicos. A definição mais popular diz que o grafite é um tipo de inscrição feita em paredes. Existem relatos e vestígios dessa arte desde o Império Romano.

Seu aparecimento na Idade Contemporânea se deu na década de 1970, em Nova Iorque, nos Estados Unidos. Alguns jovens começaram a deixar suas marcas nas paredes da cidade e, algum tempo depois, essas marcas evoluíram com técnicas e desenhos.

O grafite está ligado diretamente a vários movimentos, em especial ao Hip Hop. Para esse movimento, o grafite é a forma de expressar toda a opressão que a humanidade vive, principalmente os menos favorecidos, ou seja, o grafite reflete a realidade das ruas. O grafite foi introduzido no Brasil no final da década de 1970, em São Paulo. Os brasileiros não se contentaram com o grafite norte-americano, então começaram a incrementar a arte com um toque brasileiro. O estilo do grafite brasileiro é reconhecido entre os melhores de todo o mundo.

O Mineral Grafite

Grafite ou grafita do grego “graphe” é um mineral cinza escuro, metálico e macio, constituído essencialmente de carbono, material que também forma o diamante, é um condutor de corrente elétrica e de calor, é resistente a altas temperaturas e oxidação. Devido a seu alto ponto de fusão é usado também como material refratário. O grafite se submetido a altas temperaturas pode produzir diamantes artificiais. O grafite é usado na indústria na fabricação de tijolos e peças refratárias, cadinhos para a indústria do aço, latão e bronze, lubrificantes sólidos ou a base de óleo e água, tintas para proteção de estruturas de ferro e aço, catodos de bateria alcalina, escovas para motores elétricos, eletrodos de lâmpadas elétricas etc. É usado também na fabricação do lápis e da lapiseira. Misturado à argila muito fina, forma a mina do lápis, com diversos graus de dureza.