Connect with us

Crônicas

Maternidade. Sim ou não?

Publicado

em

Cada vez mais ouvimos mulheres dizerem que não querem ter filhos. Algo impensável tempos atrás. Mas, hoje, elas ganharam voz e conseguem expor seus reais desejos, sem precisar repetir o mesmo script de vida de suas mães e avós. 

Geralmente, são mulheres independentes e estão girando a roda dos gerúndios: trabalhando, produzindo, estudando, rompendo barreiras e paradigmas, viajando, vivendo. 

Seguras, canalizam a energia para diversas outras áreas em que a maternidade passa longe. Algo errado nisso? Nada. Cada qual com suas escolhas e seu livre arbítrio.

Apesar de muitas mulheres estarem potencialmente preparadas para a condição materna, não querem e não se veem em hipótese alguma entre, fraldas, chupetas, educação, tempo e tudo que faz parte desse universo. Uma decisão legítima, uma vez que também há uma infinidade de mulheres que se tornaram mães sem entender até hoje o porquê e, por consequência, vivem num mar de reclamações e lamentações que vão respingar e interferir, de alguma forma, na criação de seus filhos. 

A natureza não é justa com a mulher quando nos força a ter que fazer uma escolha tão séria e importante no auge do processo de conquistas pessoais e profissionais. Não bastasse, no caso da maternidade, é preciso encontrar um parceiro que esteja disposto a ser pai, mesmo que seja para seguir junto ou não.  

Se a natureza flexibilizasse, poderíamos engravidar aos cinquenta e poucos, com a vida profissional estabilizada e o mestrado ou doutorado concluído no currículo, sem a preocupação da data de validade dos óvulos. Assim, poderíamos nos dedicar aos pequenos sem precisar terceirizar a educação.

Como não é isso que acontece, pois o relógio biológico promove um desgaste emocional implacável, é preciso dizer “sim” ou “não” para a maternidade. O que em hipótese alguma gera garantia de que foi feita a melhor escolha.

Mas (e sempre há um “mas” no meio do caminho) é que costumamos não seguir com a mesma opinião ao longo de uma vida inteira.  Aos quinze pensamos de um jeito, aos vinte e cinco de outro e aos cinquenta podemos adotar uma postura e visão de mundo tão diferentes que, em certos momentos, nem chegamos a nos reconhecer. 

Portanto, a decisão de não ser mãe aos trinta pode sim sofrer abalos aos quarenta e cinco do segundo tempo e, é possível, que não haja mais prazo hábil para a concretização desse desejo. 

Adoção? Claro, mães de coração. Possibilidade que permite exercer a maternidade em qualquer idade, mas, aqui, falo da maternidade biológica.

Como não há bola de cristal para saber se a decisão de hoje será a mais acertada lá no futuro, cabe seguir em frente e torcer para que, depois de todos os anseios para obter estabilidade tiverem sido realizados e o tempo frenético da juventude ter ficado para trás, a mesma certeza das suas escolhas persista acompanhando seu caminho e que o arrependimento não venha bater à porta.

Por: Kátia Muniz

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.