conecte-se conosco

Crônicas

Criança diz cada uma

O bom de ser criança é que tem sempre um adulto por perto disposto a sanar as nossas dúvidas mais inocentes ou a nos enrolar por um determinado período, ou melhor, até ganharmos maturidade para certos assuntos

Publicado

em

coluna crônicas

Por: Kátia Muniz

“Mãe, como é que o cantor cabe dentro do rádio? Por onde ele entra? Como o artista, sendo uma única pessoa, consegue cantar no rádio e no programa de auditório da televisão ao mesmo tempo?”

“Mãe, quando se atende ao telefone, como é que se sabe se é homem ou mulher do outro lado da linha, se não dá para ver a pessoa?”

Meu pai trabalhava o dia todo fora. Sobrava para minha mãe resolver o imbróglio dos meus questionamentos e posicionamentos.

“Mãe, quando voltar da padaria, guarda o troco no cofrinho, senão a gente nunca vai ficar rico.”

“O que Papai Noel faz no restante do ano? Como o neném vai parar dentro da barriga da mulher? Por que minhas amigas têm irmãos e eu não tenho? Por que a visita vem de novo hoje se já veio ontem?”

Ao me levarem pela primeira vez numa cerimônia de casamento, quando o padre disse “Até que a morte os separe”, exclamei “Tudo isso!”, em voz alta. Aquele casal era novo à beça, e eles teriam de passar a vida toda juntos até que a tal morte os separasse? Era muito tempo. Convenhamos que eu raciocinei com coerência.

Era a década de 70, e não sei bem quantos anos eu tinha quando verbalizei essas pérolas, mas lembro como se fosse hoje.

O bom de ser criança é que tem sempre um adulto por perto disposto a sanar as nossas dúvidas mais inocentes ou a nos enrolar por um determinado período, ou melhor, até ganharmos maturidade para certos assuntos.

Fui crescendo, mas nem tudo me parecia muito claro ainda: “Mãe, tô sentindo um negócio esquisito aqui dentro, e isso só acontece quando vejo aquele garoto ali, ó”. Ao que minha mãe, prontamente, respondia: “É amor, minha filha!”.

Mãe é uma invenção fabulosa mesmo!

Então, tornei-me adulta e descobri que nessa fase a gente tem de se virar sozinha para tentar liquidar uma série de questionamentos, os quais se avolumam e ganham um nível maior de dificuldade na resolução das respostas: A felicidade é o quê? Devemos confiar na nossa intuição? É sempre bom ser racional? Por que sonhamos? Resolvemos agora ou deixamos para depois? Direito ou jornalismo?

Disseram que eu chorei muito ao nascer. Talvez fosse um choro de interrogações, como: Onde estou? Que lugar é esse? 

Os questionamentos até hoje me fazem companhia e nem toda resposta me serve.

Em alta

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.