Connect with us

Ciência e Saúde

Tragédias coletivas podem causar impactos emocionais e físicos

Medo, insegurança, insônia, falta de apetite e até hipertensão podem ser reflexos dos últimos eventos trágicos ocorridos no País

Publicado

em

A sucessão de tragédias com muitas vítimas, neste início de ano no Brasil, causou grande comoção em toda a sociedade após a repercussão na mídia. Entre elas, está o rompimento da barragem de minério em Brumadinho (MG), enchentes no Rio de Janeiro, o incêndio que tirou a vida de dez meninos das categorias de base do Flamengo, também na capital carioca, além do acidente com helicóptero que tirou a vida do jornalista Ricardo Boechat.

A psicóloga Carla Slongo, afirmou que todos esses acontecimentos trazem um impacto importante, pois fazem a sociedade pensar sobre a morte, a vulnerabilidade e a injustiça.

“Rapidamente, fazemos um processo empático que é nos colocar no lugar dos familiares das vítimas, fazemos associações com os que morreram com pessoas do nosso convívio. No caso da tragédia no Centro do Flamengo as vítimas eram adolescentes e pensamos em nossos filhos, netos, sobrinhos ou naqueles que amamos, e podemos experimentar um pouquinho do sentimento que os familiares estão sentindo e isto nos comove”, disse Carla.

Esta comoção pode gerar outros sentimentos como receios, inseguranças e medos. “Ficamos temerosos em pensar na possibilidade de um dos nossos vir a passar por estas situações. Funciona como um sinal de alerta, pensamos na possibilidade de que isto também possa acontecer com a gente e o medo, muitas vezes, paralisa e intensifica as sensações”, observou Carla.

QUE SINAIS SERVEM DE ALERTA?

Alguns sinais que a pessoa apresenta podem ser um alerta de que algo de errado está acontecendo e que precisa de ajuda para restabelecer o emocional. “Quando não conseguimos reagir e passamos muito tempo pensando no que aconteceu, como se tivesse acontecido comigo ou com um familiar meu, ou quando o medo fica tão intensificado que me paralisa ou faz com que eu mude a minha rotina, a rotina de meus filhos, companheiro ou companheira. Quando passo a ter um prejuízo social, deixando de ir trabalhar, estudar, de realizar minhas atividades com medo que algo possa acontecer”, pontuou a psicóloga Carla.

Quem já possui depressão ou está propenso ao problema também merece atenção. “Quando estamos em depressão, estamos com o humor alterado, mais deprimido em algumas situações, estes eventos contribuem para um humor mais deprimido para uma comoção e aqueles que estão próximos da pessoa doente, acabam não tendo naquele momento palavras ou reações que venham contribuir de forma positiva com o depressivo”, avaliou Carla.

“A CURA É PELA FALA”

Segundo a especialista, é possível passar pelo período de luto de coletivo e uma das formas é falar sobre as tragédias. “O luto por si só é um processo bastante delicado e dolorido, não há palavras ou expressões que possam traduzir ou descrever precisamente essa que é uma das sensações mais dolorosas vivenciadas pelo ser humano. O luto coletivo necessita de um tempo para ser elaborado. Freud nos diz que ‘a cura é pela fala’, e isto é o que já fazemos, falamos sobre o evento, sobre a tragédia”, concluiu a psicóloga.

 

Foto de capa: divulgação.

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.