conecte-se conosco

Ciência e Saúde

Pacientes relatam a importância da unidade do HEG em Paranaguá

Tratamento mais perto de casa contribui para a qualidade de vida

Publicado

em

Na segunda-feira, 27, acontece a inauguração da unidade avançada do Hospital Erasto Gaertner (HEG), em Paranaguá. As obras foram empreendidas em anexo ao prédio administrativo da Secretaria Municipal de Saúde, no centro da cidade.

Cerca de 20 pacientes poderão realizar sessões quimioterápicas por dia no espaço. Mais de 100 pacientes realizam o tratamento em Curitiba e utilizam o transporte oferecido pelo município.

A reportagem da Folha do Litoral News conversou com alguns pacientes que necessitam do atendimento semanal. Confira:

 

“Nós que fazemos o tratamento  fora  do  domicílio  foi ótimo, pois diminui o sofrimento. Levantar na madrugada e retornar para casa no final do dia e, muitas vezes,  à noite, depois de um tratamento pesado como químio e  rádios  não  é  fácil. Só  Deus para nos dar essa força. Eu espero  que todos que possuem essa enfermidade e estão em tratamento possam se beneficiar desse privilégio de estar se tratando, vamos dizer assim, em casa”.

Liliane Silva, 43 anos, moradora no Parque Agari

 

"Há 9 anos fui diagnosticada com câncer de mama e até então tenho que me deslocar até Curitiba para fazer o tratamento, saindo em micro-ônibus às 5h30 e, muitas vezes, era preciso ficar o dia inteiro lá esperando o ônibus de volta. Quando não conseguimos agendar vamos de ônibus de linha, superando as dificuldades. E tendo uma Unidade aqui será grande bênção para quem está fazendo apenas o controle, pegando medicamento, e para quem está começando um tratamento. Tudo fica mais ágil, mais cômodo. Tem vezes que precisamos ir duas ou três vezes até o Hospital em Curitiba para realização de exames. Muitos pacientes acabam faltando o tratamento por causa disso".

 Ana Lúcia da Silva Floriano, 52 anos, moradora no bairro Parque Agari

 

"Agradeço a Deus e aos responsáveis a implantação não só de um hospital que faz tratamento do câncer e sim de um hospital referência no tratamento como o Erasto Gaertner. Essa sensação de estar sendo cuidado pelo melhor é muito boa e o fato de termos em nossa cidade é um privilégio. Referente ao tratamento, sim é muito doloroso ver e sentir, por várias situações. Uma delas é a quimioterapia que logo após os medicamentos ficamos muito debilitados e ainda ter que esperar para vir embora é um verdadeiro martírio, mas agora isso vai mudar. A palavra que fica é gratidão por terem investido o nosso dinheiro em uma obra tão importante que vai ajudar muitas pessoas".

 Mauricio José Cabral, 42 anos, empresário, morador no Eldorado

 

"Essa notícia me deixa muito feliz. Só quem necessita sabe da importância da implantação do Erasto Gaertner em Paranaguá. Nós fazemos o tratamento em Curitiba e sofremos muito com isso, não apenas pelo deslocamento como também as despesas. Passamos o dia inteiro lá e dependemos do ônibus para retorno, temos que almoçar e fazer lanche. Tudo é difícil e ainda sofremos com os efeitos que o tratamento exerce em nosso corpo. Posso resumir isso em uma só palavra: sofrimento. Mas agora tudo ficará melhor".   

Soeli Ferrari, 51 anos, moradora no Emboguaçu

 

"A comodidade para fazer o tratamento aqui em Paranaguá é bem melhor até porque muitas pessoas sofrem com os sintomas e precisam até mesmo de acompanhante. Tendo uma unidade aqui em nossa cidade isto tudo vai mudar, pois ficamos lá esperando passar os sintomas e sem contar o transporte, as quimioterapia são quase sempre pela manhã, mas o transporte só chega para nos buscar depois das 14h e tem que esperar até o último paciente. Então com a implantação em Paranaguá vamos ser poupados de tudo isso".

Cristiane Peixoto, 47 anos, moradora no Jardim Esperança

 

"Para mim que moro em Superagui é muito mais difícil realizar o tratamento porque necessito de três conduções apenas para chegar em Curitiba. Eu saio de madrugada de barco e vou até Paranaguá e depois vou para a rodoviária pegar o ônibus até o hospital. Chegando lá, muitas vezes, preciso pegar táxi ou mais um ônibus. O gasto é grande e as dificuldades são maiores. Assim como eu, muitos pacientes vivem essa situação, mas tudo poderá ficar muito melhor com o Erasto em Paranaguá. É um sonho que se torna realidade".  

 Florisa Michaud do Rosário, 61 anos, moradora em Superagui

Continuar lendo
Publicidade