conecte-se conosco

Ciência e Saúde

Médico aborda tratamento de câncer humanizado no Hospital Paranaguá

Dr. Evanius Wiermann destaca que Centro de Oncologia está à disposição dos pacientes de Paranaguá e região com tratamento de qualidade e equipe multidisciplinar personalizada

Publicado

em

Profissional destaca características na incidência de tipos de câncer específicos do litoral

O câncer, doença tão presente na população mundial, possui no atendimento personalizado e tratamento humanizado alicerces importantes para a sua cura e acompanhamento. O oncologista clínico, Dr. Evanius Garcia Wiermann, responsável pelo Centro de Oncologia do Hospital Paranaguá, mantido em parceria com a Unimed Paranaguá, ressaltou a qualidade do atendimento feito na unidade local, um centro de excelência médica que permite aos pacientes de Paranaguá e região realizarem o tratamento de câncer perto de casa, com uma equipe clínica completa que realiza o atendimento específico caso a caso, com atendimento humanizado e mais próximo de casa, sem necessidade de ir a Curitiba. Wiermann, que é membro titular da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) e especialista em Oncologia Clínica pelo Conselho Federal de Medicina, também analisou o quadro local da incidência do câncer na população litorânea e os tipos mais comuns na região. 

“O Centro de Oncologia foi uma opção trazida para a população litorânea como um centro de excelência, com toda a infraestrutura necessária aqui para fazer os tratamentos realizados em Curitiba”, afirma Dr. Evanius. “Do ponto de vista oncológico, temos todas as condições necessárias para o rastreamento dos pacientes, com exames para fechamento de diagnóstico, para acompanhamento desde a investigação da doença, até o tratamento, acompanhamento, incluindo não só a quimioterapia, mas todo o arsenal de tratamento combinado, com a hormonoterapia para pacientes com câncer de mama e de próstata. Temos outras inovações como a imunoterapia localmente, que não envolvem quimioterapia, mas sim medicamentos que aumentam a reação do organismo ao câncer, não envolvendo queda de cabelo, náusea e vômito. São tratamentos ultramodernos, cada vez mais relevantes, visto que a imunoterapia ganha cada vez mais espaço na oncologia”, destaca. 

Segundo o oncologista clínico, há apenas leves diferenças com relação a estudos científicos de centros da capital paranaense. “Estamos em Paranaguá em uma fase embrionária, ainda não temos uma pesquisa clínica, mas do ponto de vista de administração e terapêutico temos acesso a todo e qualquer medicamento”, explica. Segundo o oncologista, irá ainda demandar algum tempo para a instalação de uma radioterapia, que necessita um custo alto e instalação de algumas diretrizes técnicas do Governo Federal envolvendo área de drenagem, números de casos de câncer por ano, entre outros itens, justificando a manutenção deste setor. 

TRATAMENTO PERSONALIZADO E HUMANIZADO
 
Segundo o médico, são realizadas em Paranaguá, no Centro de Oncologia do Hospital Paranaguá, as chamadas terapias autodirigidas. “Neste caso, é visto o tipo de tumor, fazendo um estudo biológico desta doença, direcionando os melhores tratamentos para cada pessoa. É algo personalizado, que foi bastante discutido agora no Congresso Americano em Oncologia realizado há uma semana em Chicago, onde estive presente vendo todas estas novidades e percebendo que esta preocupação é mundial”, afirma. “Não existe nenhum tumor igual ao outro, o câncer nasce da pessoa. O câncer é seu, não há como ter outro igual na face da Terra. Sendo assim, o melhor tratamento possível é o que entendemos como medicina de personalização, é aquela que ao entender a biologia molecular daquela doença, é visto o que a diferencia e a pessoa de outros tumores, onde se agrega o paciente a um grupo de tratamento que cada vez tenta ser mais eficaz e o menos tóxico possível”, ressalta. 

“A necessidade que antes o paciente tinha de subir a Serra do Mar, ir para Curitiba e chegar em um centro maior para se tratar, isso torna o tratamento aqui no Centro de Oncologia no Hospital Paranaguá algo mais confortável e próximo da casa do paciente. Esta é a mesma característica de humanização que temos em Curitiba, pois aqui não atende só o médico, temos uma equipe multidisciplinar com nutricionistas, enfermeira oncológica, farmacêuticos oncológicos que fazem toda uma avaliação de interações medicamentosas, temos psicólogos, enfim, temos todo um grupo de pessoas dedicado a trazer ao paciente um tratamento de oncologia em todos os aspectos em que possa se comprometer a vida dele”, afirma o médico. 

REALIDADE LITORÂNEA 

De acordo com Wiermann, com relação ao câncer e a sua incidência na população local, Paranaguá e o litoral apresentam características próprias. “Aqui em Paranaguá, pela característica portuária, temos alguns dados que aumentam a incidência de tumores relacionados a pulmão, de cabeça e pescoço, envolvidos também pela questão do tabagismo”, destaca. “Por ser uma região mais quente, temos muitos casos de câncer de pele, devido à incidência solar mais intensa se comparado a outros locais do Paraná”, destaca, ressaltando a necessidade de proteção solar por parte dos cidadãos não só no verão, como também no inverno, visto que os raios solares são intensos mesmo com a temperatura mais amena. 

“No restante, na parte do câncer do intestino e mama, não observamos diferenças grandes. São tumores que dependem menos de questão local, mas sim de questão de rastreamento, investigação adequada e acompanhamento”, ressalta Dr. Evanius. Segundo ele, outra questão envolvendo a realidade portuária abrange pacientes portadores de HIV, muitas vezes relacionada a características específicas de tumores gerados pela presença de vírus. 

Continuar lendo
Publicidade

Em alta