Logotipo

Centro de Atenção Psicossocial realiza ação de prevenção ao suicídio

11 de setembro de 2018

Objetivo é dialogar com a população e distribuir materiais informativos em prol da vida e saúde mental (Arte: Divulgação)

Compartilhe

Objetivo é dialogar com a população e distribuir materiais informativos em prol da vida e saúde mental

No dia 21 de setembro, a partir das 9h, a Prefeitura de Paranaguá e a Secretaria Municipal de Saúde e Prevenção (Semsap), através do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), realizam uma ação no Terminal Rodoviário Urbano, alusiva ao Setembro Amarelo, mês de prevenção ao suicídio em todo o Brasil. De acordo com Thais de Cassia Pacheco, diretora de Saúde Mental do CAPS, o objetivo será dialogar com a população sobre informações e estratégias para prevenção ao suicídio em Paranaguá.

"Uma das funções do CAPS é articular a rede municipal de saúde em torno da questão da saúde mental no sentido de qualificar e facilitar o acesso ao tratamento mais adequado, priorizando os casos de risco ou tentativa de suicídio. No dia do evento, serão distribuídos panfletos informativos e comunicações relacionadas ao tema na página do CAPS no Facebook", afirma a diretora de Saúde Mental.

Com relação às orientações para pais e responsáveis por adolescentes e jovens, bem como pessoas que querem auxílio para a questão do combate ao suicídio, a dica é compreender e acolher com apoio do CAPS. "Aos pais, a orientação é de que sempre procurem acolher o sofrimento dos filhos, seja ele qual for, sem julgamentos. Ao menor sinal de risco, é importante procurar a unidade básica de saúde mais próxima ou o próprio CAPS. Lembramos também que o Centro de Valorização à Vida, programa do Governo Federal, oferece escuta qualificada 24h por dia através do número 188", complementa Thais Pacheco.

SETEMBRO AMARELO

O mês de setembro é tido como um período intensivo de luta contra um problema de saúde mundial considerado grave na sociedade humana: o suicídio, algo que é cheio de tabus, mas que na verdade é um problema sério de saúde humana. Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde / Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), atualmente o suicídio é responsável por uma morte a cada 40 segundos em todo o mundo, sendo a segunda principal causa de morte entre pessoas de 15 a 29 anos.

A Organização das Nações Unidas (ONU) alerta que mais de 800 mil seres humanos cometem suicídio por ano no mundo. No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, um total de 11 mil pessoas tiram sua própria vida anualmente. Segundo a psiquiatra do Hospital Santa Genoveva, Ana Carolina Chaves Alucio, profissional de um dos centros mais qualificados para o combate ao suicídio, as causas mais comuns decorrem de transtornos mentais como bipolaridade e esquizofrenia, assim como alcoolismo, depressão e dependência química.

O CVV – Centro de Valorização da Vida oferece escuta qualificada 24h por dia através do número 188 (Foto: Divulgação)

“É difícil definir o que leva uma pessoa a se matar. Acredito que não haja uma única causa, mas um conjunto de fatores que leva o indivíduo ao ato. Estudos sugerem que 90% das vítimas de suicídio tinham alguma doença mental, o que pode não ser determinante, mas expõe a pessoa a uma vulnerabilidade maior ao ato”, explica Ana Carolina. A psiquiatra afirma que para estas pessoas a morte seria uma única saída perante situações de impotência e de dor extrema, sendo que a definição de se suicidar é algo que o ser humano coloca na balança uma série de fatores culturais, emocionais, filosóficos, religiosos e até mesmo biológicos.

SINAIS

Ana Carolina afirma que sinais podem detectar o indivíduo que pode ter uma intenção suicida. "A maioria das pessoas, antes de tentar tirar a própria vida, fala sobre isso com alguém e tem mudanças repentinas de hábitos e humor. Apesar de as mulheres tentarem mais o suicídio que os homens, são eles os que, majoritariamente, chegam às vias de fatos, pois utilizam meios mais agressivos e letais. Estima-se que 50% das pessoas que se suicidaram já haviam tentado anteriormente. Essa é uma questão de saúde pública grave. Demonstra o maior grau do sofrimento humano. É importante, cada vez mais, falarmos sobre esse tema, levarmos informação e, principalmente, solidariedade às pessoas”, finaliza a médica.

LIGUE 188

O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email e chat 24 horas todos os dias. O número para informações é 188.

Colunistas