Logotipo

Eleição para Conselho Tutelar em Paranaguá tem 12 inscritos

04 de setembro de 2019

Presidente do CMDCA, Geseli Guimarães (ao centro), e os conselheiros Ceris Miranda e Manuel Fabrício Neto explicaram como ocorre o processo eleitoral

Compartilhe

No dia 30 de agosto foi encerrado o período de inscrição para o processo eleitoral para empossar os novos conselheiros tutelares em Paranaguá para o quadriênio 2020/2023. O CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) recebeu, ao todo, 20 inscrições, sendo que apenas 12 foram deferidas. As demais não atenderam aos requisitos estabelecidos anteriormente em edital.

Os nomes dos candidatos deferidos foram divulgados no Diário Oficial, na terça-feira, 3, sendo eles: Nair Valni Pereira Marins, Arione Lopes de Farias, Adilson Santos Costa, Claudio Antonio do Nascimento, Verônica do Rosário Lima, Camila do Rosário Lacerda Correa, Thaiz Cristina Alves de Oliveira, Josiane Constantino Isaias, Edmilson da Silva Costa, Jerson Nunes Pereira, Danielle de Lima dos Santos e Luiz Carlos Portaneri.

Geseli Antunes Guimarães, hoje presidente do CMDCA, foi uma das primeiras conselheiras tutelares em Paranaguá, em 1996. Segundo ela, os candidatos precisam cumprir alguns requisitos, de acordo com a lei municipal vigente, e houve candidatos que não atenderam às exigências.

“Os dois maiores problemas que resultaram nos indeferimentos foram a questão do comprovante de experiência mínima de dois anos com crianças e adolescentes e curso de capacitação do Estatuto da Criança e Adolescente na modalidade presencial, de no mínimo 40 horas”, explicou Geseli.

Os candidatos que tiveram a inscrição indeferida ainda podem entrar com recurso. A homologação do resultado final será publicada no dia 11 de setembro. Quatro membros atuais do Conselho Tutelar tentam a reeleição em Paranaguá.

AVALIAÇÕES

Os inscritos ainda terão que realizar uma prova de conhecimentos específicos, na qual devem alcançar uma nota mínima. “Aqueles que alcançarem a nota cinco vão passar para a próxima etapa que é apresentação do laudo psicológico e médico, emitido por profissionais credenciados pelo CMDCA”, informou o conselheiro do CMDCA, Manuel Fabrício dos Santos Neto.

O Conselho Tutelar será composto de cinco membros titulares e cinco suplentes
 

ESCOLHA DOS CANDIDATOS

As eleições acontecem no dia 6 de outubro e todos os eleitores do município poderão votar. O Conselho Tutelar será composto de cinco membros titulares e cinco suplentes. “Os eleitores devem escolher, de preferência, com base na idoneidade dos candidatos, de vínculo com a causa, envolvido na área da criança e do adolescente e não apenas por amizade. Assim como nas eleições gerais, é preciso ter um voto consciente, pois são funções de alta responsabilidade”, destacou Santos Neto.

Os conselheiros tutelares lidam diariamente com diversas situações de violação dos direitos das crianças e dos adolescentes, como negligência dos pais, violência, casos de maus-tratos, abusos sexuais etc. Já o CMDCA formula, fiscaliza e acompanha a execução das políticas públicas de atendimento à infância e à adolescência. “Nós, como membros do Conselho da Criança e do Adolescente, estamos aqui para dar apoio, para somar e não para supervisionar de forma negativa, mas acompanhar, avaliar e ajudar”, concluiu a presidente do conselho, Geseli.
 


Colunistas