conecte-se conosco

Paralisação dos Caminhoneiros

Caminhoneiros garantem: Paralisação continua

Concentração dos caminhoneiros ocorre em vários pontos da BR-277

Publicado

em

Apesar de o Governo Federal decretar uso das Forças Armadas para desobstruir vias federais, organizadores do movimento reforçam que paralisação é pacífica e não impede fluxo nas rodovias

[videoyoutube]etMDLhnB_r0[/videoyoutube]

A paralisação dos caminhoneiros, que chegou ao seu quinto dia seguido em todo o Brasil na sexta-feira, 25, prossegue com toda a força em Paranaguá e em todo o País, de acordo com os coordenadores do movimento presentes em pontos estratégicos da BR-277 no litoral do Paraná. A continuidade da manifestação ocorre mesmo após decreto do Governo Federal que permite o uso das Forças Armadas para desobstruir vias federais em todo o Brasil. Apesar disso, os profissionais do transporte destacam que a paralisação é pacífica e não impede o fluxo de veículos nas rodovias. Os protestos já surtem efeitos claros, primeiramente no abastecimento zero de combustível em Paranaguá, algo que faz com que as vias federais estejam praticamente desertas, além de afetar na oferta de produtos em prateleiras que já estão vazias em supermercados. 

Therbio Castro da Silva, caminhoneiro e um dos organizadores da paralisação em Paranaguá, ressalta que os protestos prosseguem com toda a força, mesmo com o pronunciamento do Governo Federal de que supostamente o manifesto tinha acabado. “A paralisação continua com toda a força no Brasil e em Paranaguá mais ainda, porque o povo já manifestou seu apoio”, destaca, ressaltando a presença de inúmeros apoiadores da sociedade local presentes em um dos pontos de concentração, no trevo entre a BR-277 e Avenida Bento Rocha.

“O presidente Michel Temer, com o pronunciamento, provocou a população, que não entendeu como sendo algo bom. Agradecemos o apoio e comprem esta briga com a gente. É uma luta de toda a população”, reforça Therbio.

Therbio da Silva e Anderson Laverde junto a caminhoneiros na paralisação na BR-277 em Paranaguá

“Estamos tendo bom senso de liberar produtos para serviços essenciais e gás para a população, como foi feito na quinta-feira, 24. Não iremos arredar o pé. Este governo corrupto não adianta vir falar. O que precisamos é de apoio. Tem gente da população parnanguara que está vindo a pé para a paralisação para mostrar apoio”, afirma o caminhoneiro Anderson Laverde, um dos organizadores da mobilização no litoral. Sobre a falta de combustível e produtos em mercados, Therbio da Silva ressalta que este é um “mal necessário”.

“As nossas famílias também estão tendo estas necessidades. Precisamos passar por isso. O gasolina chegou a quase R$ 5,00 e o diesel quase a R$ 4,00, com a paralisação estamos sentindo que realmente estava muito caro. A população acordou, convidamos todos a vir somar forças conosco e se unir”, completa, destacando a presença de entidades e cidadãos apoiando com alimentação, água mineral, banhos e outros benefícios. “Não tem nos faltado nada, muito menos carinho e apoio do povo parnanguara”, afirma Therbio. 

Adriano Vinicius de Oliveira, caminhoneiro de Paranaguá, que é um dos organizadores dos protestos na BR-277, ressalta que a paralisação prossegue, alcançando o seu objetivo, que é fazer o Governo Federal se mexer. “Com nossa força mobilizamos todos os cidadãos brasileiros neste movimento que é de todo o País. Vamos continuar, é uma paralisação pacífica, não estamos obstruindo estradas. Se mandarem a força policial para desobstruir, os caminhões que estão nos acostamento, encostaremos dentro dos pátios dos postos”, explica.

Além disso, ele destaca que a mobilização recebe apoio da sociedade parnanguara, sendo que estão sendo liberadas paulatinamente cargas de botijões de gás para fornecimento, assim como materiais e perecíveis para saúde pública, educação, polícias e Corpo de Bombeiros, entre outros serviços básicos. “Esta paralisação é para todo o País”, completa Adriano de Oliveira.

Caminhoneiro Adriano de Oliveira reforça que paralisação é pacífica e é em prol de todo o País

“Esta paralisação é em prol de todos. O povo brasileiro precisa acordar, está mais do que na hora de trocarmos de governo, que está cobrando muito imposto. Agradecemos quem está nos apoiando, há muita gente solidária”, ressalta Michel Ireno Calado, caminhoneiro e organizador do movimento. Em um dos pontos do movimento, no KM 12 da BR-277, caminhoneiros permitiam a passagem de veículos, em que muitos cidadãos encostavam no acostamento, permitindo que os caminhoneiros escrevessem mensagens em prol da manifestação nos vidros dos carros.

“O Governo Federal está alegando que estamos trancando vias, não é verdade, estamos fazendo tudo dentro da Lei. Estão querendo usar da força, mas aqui estão caminhoneiros pais de família e a população precisa nos apoiar”, finaliza Calado.

Michel Calado reforça que paralisação está dentro da Lei e agradece apoio da população que está sendo manifestado na BR-277

Um dos pontos de concentração da paralisação na BR-277 em Paranaguá
 

Publicidade






Em alta

plugins premium WordPress