Connect with us

Trabalho

Paranaguá tem 500 estagiários empregados pela Secretaria do Trabalho

Objetivo tem sido buscar parcerias para ingresso no mercado e para a oferta de cursos de capacitação

Publicado

em

A Secretaria Municipal de Trabalho, Comércio, Indústria e Assuntos Sindicais de Paranaguá tem buscado parcerias a fim de inserir estudantes no mercado de trabalho e oferecer cursos de capacitação. Somente pela secretaria, 500 estagiários estão empregados, mas ainda há cerca de mil cadastros para serem preenchidos.

O secretário municipal do Trabalho, Brayan Roque, lembrou que hoje, em Paranaguá, o ingresso no mercado é difícil para quem não tem experiência.

“Com o estágio, essas pessoas têm uma oportunidade maior, uma noção básica do que é o serviço, ainda mais no setor público. Temos estagiários nas secretarias de Educação, Saúde etc.”, contou.

Apesar de haver 500 contratados, ainda restam mil na fila de espera que aguardam por essa oportunidade. “Nós fazemos apenas a parte da prefeitura. As empresas privadas podem fazer uso do nosso cadastro, mas isso, infelizmente, não acontece”, disse Brayan.

CAPACITAÇÃO

Uma das preocupações da secretaria, além de proporcionar e ampliar esse ingresso no mercado é oferecer cursos de capacitação. Neste ano, foi estabelecida uma parceria com o Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) com a oferta de mais de 12 cursos profissionalizantes abertos a todos os cadastrados.

Ao que tudo indica, a oferta de cursos tem surtido interesse entre a população. Uma parceria firmada também neste ano com o Senai, que possibilitou a oferta de 40 vagas para o curso de auxiliar administrativo, gerou filas na Secretaria do Trabalho.

“Se esse curso fosse pago, seria de mais de dois mil reais por pessoa. Para o curso do Senai fizemos por ordem de chegada e filas se formaram, foram mais de 250 pessoas inscritas”, frisou Brayan.

AUMENTO DOS SALÁRIOS

Uma das medidas tomadas pela secretaria neste ano foi a de aumentar o salário dos estagiários, que há mais de quatro anos não passava por reajuste. A remuneração para estudantes do nível superior agora é de R$750, para os de nível técnico é de R$630 e para quem está terminando o Ensino Médio, é de R$450.

“Nossa meta para o ano que vem é aumentar esse auxílio, pois sabemos que ainda está defasado. A média de um estagiário de nível superior no Brasil é de R$1.100, por isso queremos chegar a um valor justo”, garantiu Brayan.

MÃO DE OBRA

O objetivo é também firmar parcerias com a iniciativa privada. Segundo o secretário, muitas empresas ainda não acreditam na mão de obra local e, por isso, privilegiam a vinda de pessoas de outras cidades.

“Estamos fazendo um trabalho de conscientização com o Sine (Agência do Trabalhador), porque muitas pessoas acham que a mão de obra de Paranaguá é fraca ou é ruim e trazem mão de obra de fora”, destacou Brayan.

LEI EXIGE CONSULTA AO SINE

Para otimizar este cenário, foi criado pela Câmara dos Vereadores de Paranaguá o Projeto de Lei 4.780/2017, que estabelece a contratação de trabalhadores a partir de consulta ao banco de dados da Agência do Trabalhador.

Com a lei, as empresas de serviços públicos, terceirizadas, que prestam serviços a órgãos da administração direta, indireta e autarquias do município, as empresas públicas e sociedades de economia mista, bem como as empresas que receberem benefícios fiscais, financeiros e incentivos concedidos pelo município deverão utilizar o banco de dados da Agência do Trabalhador de Paranaguá para preencher seus novos quadros de trabalhadores.

O descumprimento da lei pode gerar advertência, multa, suspensão de licitações e impedimento de contratar ou receber benefícios da Administração, por prazo não superior a dois anos; declaração de inidoneidade para licitar, contratar ou receber benefícios da Administração Pública, por prazo não superior a cinco anos.

Com isso, as empresas poderão ter conhecimento prévio da informação aos trabalhadores locais, para que estes tenham as mesmas oportunidades.

“É uma lei interessante para o trabalhador parnanguara. Sentimos muita falta da iniciativa privada, que poderia ter mais parcerias. Estamos trabalhando para que isso ocorra da melhor forma possível”, concluiu Brayan.

Continuar lendo