conecte-se conosco

População cobra providências e pede normatização na entrega de correspondências

Estresse e xingamentos são constantes no CDD. No dia 22, a PM foi chamada para acalmar os ânimos

Publicado

em

Uma manhã inteira para conseguir fazer a retirada de uma correspondência nos Correios de Paranaguá. Este é o drama de quem vai até o Centro de Distribuição Domiciliar (CDD), localizado no Porto dos Padres, e fica literalmente horas à espera de atendimento. O nervosismo e o estresse causados pela longa espera foram tantos que na terça-feira, 22, policiais foram acionados para atender a uma ocorrência no local, uma vez que um cidadão, irritado com as três horas de espera pelo atendimento, quase agrediu um dos poucos funcionários do local.

De acordo com um carteiro que preferiu não ser identificado, o clima no CDD quase sempre fica tenso e os xingamentos são corriqueiros no balcão de retirada das correspondências. “Não tiramos a razão da população, pois a espera é realmente longa, mas o problema é que faltam funcionários e não conseguimos dar conta de tanto serviço”, comentou um carteiro.

 

 

Durante a presença da reportagem da Folha do Litoral News no CDD, apenas uma pessoa fazia o atendimento a mais de 60 clientes que aguardavam o chamado feito por meio de senha. Um deles, o morador no Jardim Eldorado Anderson Nascimento, que optou ir ao local logo que as portas se abriram, às 8h. “São 10h30 e ainda não fui chamado”, disse.

Assim como Nascimento, outras pessoas reclamavam, na parte externa do prédio, a demora para conseguir ter em mãos uma correspondência ou uma encomenda que, por algum motivo, não foi entregue na residência do destinatário. “A numeração predial ainda não foi regularizada, mas a culpa não foi minha, pois já dei entrada na parte documental tanto na prefeitura e até mesmo aqui nos Correios”, observou o morador na Vila Marinho Bruno Henrique Domingues.

 

PEDIDO

Sobre esta situação, os Correios pedem para que a população verifique, junto à prefeitura (na Secretaria de Urbanismo), o andamento do processo que trata da alteração da numeração predial. Após este momento, faz se necessário, por parte da população, informar a todos os clientes sobre a nova numeração predial existente na residência ou qualquer outra mudança no endereço que o local tenha recebido.

De acordo com as estatísticas dos Correios, entre os maiores problemas de falta de entrega de correspondência estão aquelas enviadas pelo Departamento de Trânsito (Detran) aos motoristas. Por isso, a sugestão dada é que as pessoas verifiquem a correção no endereço para o local em que as cartas do órgão de segurança são enviadas.

 

MULTITAREFA

Para o morador no Jardim Eldorado, Zair Teixeira, somente uma ação em conjunto entre a prefeitura, a Câmara de Vereadores e Correios resolveria a situação da entrega de correspondências e encomendas em Paranaguá. “Se há algum tipo de burocracia ou qualquer situação que está impedindo o andamento normal da entrega das correspondências na casa das pessoas, sugiro que uma ação maior, uma multitarefa, dê conta de identificar as falhas e corrigi-las para o bem da sociedade. O que não podemos é perder tanto tempo no Correio somente para retirar uma carta ou encomenda que não foi entregue no destino”, declarou o insatisfeito parnanguara.

 

 

EMPRESA NEGA DEFASAGEM

De acordo com os Correios, atualmente, 31 carteiros atuam na área de distribuição postal na cidade de Paranaguá, não havendo, segundo a nota encaminhada à reportagem da Folha do Litoral News, defasagem de efetivo. Por isso, segundo a assessoria de imprensa do órgão, não haverá contratação para o período de final de ano quando as entregas de encomendas deve ser ainda mais elevada. Isso porque o ingresso de novos empregados para trabalhar na empresa ocorre por meio de concurso público, o qual não existe, até o momento, previsão para ser feito.

Sobre a reclamação de uma eventual sobrecarga de trabalho em Paranaguá, a empresa disse que os empregados cumprem a jornada habitual, não realizando horas extras. Já a respeito do problema ocorrido na terça-feira, quando a Polícia Militar foi acionada, a empresa informa que, por motivos de segurança, tanto para os empregados quanto para o público que aguardava atendimento, teve de acionar as autoridades policiais. O motivo foi o comportamento indevido de um cliente, que estava tumultuando o ambiente, dirigindo-se de maneira depreciativa aos profissionais.

Publicidade






Em alta

plugins premium WordPress