Connect with us

Política

Paraná prepara ecossistema que integra tecnologia e inteligência

O governador Ratinho Júnior afirmou que o Paraná quer se transformar em referência de dados, que são a grande commodity do século 21.

Publicado

em

O Paraná prepara um ecossistema de inovação capaz de unir governo digital, desenvolvimento tecnológico na agricultura e fomento de startups. A política tem como pano de fundo aproximar o Governo do cidadão e oferecer respostas mais ágeis aos problemas cotidianos, além de tornar a Celepar (Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação) referência nacional para produzir inteligência para todas as áreas do governo. O anúncio foi feito na reunião de Secretariado de terça-feira, 12, comandada pelo governador Carlos Massa Ratinho Júnior.
O ambiente que o Paraná vai criar será capaz de integrar o conhecimento científico das universidades estaduais, a produção tecnológica da Celepar e iniciativas privadas. O governador afirmou que o Paraná quer se transformar em referência de dados, que são a grande commodity do século 21. “A Celepar avança para se tornar uma empresa de inteligência para o governo estar mais próximo do cidadão”, afirmou Ratinho Júnior.
Segundo Allan Costa, presidente da Celepar, a transformação é fundamental para aprimorar o uso de dados para fomentar novos negócios e principalmente o agronegócio. “Quando se pensar em tecnologia de agrotech, por exemplo, o nome do Estado do Paraná tem que estar no topo da lista. A gente acredita que consegue fazer isso com govtech (Governo totalmente digital), startups a serviço do governo, agrotech e blockchain (segurança digital de dados, espécie de impressão digital que corta intermediários)”, afirmou.
“A tecnologia virou commodity, se compra na esquina, mais barata a mais eficiente. Se a Celepar apostar somente em tecnologia pode caminhar para a irrelevância. Ela só faz sentido se for uma companhia de inteligência para o Paraná”, destacou.

SALTO

O presidente da Celepar também explicou que a companhia experimentou grandes mudanças ao longo dos últimos anos, passando de empresa de processamento de dados para tecnologia da informação. O novo salto passa por orientar a informação pela inteligência, o que fará do Paraná um Estado voltado para a inovação e novos negócios. A consequência será o aumento do emprego e da qualidade de vida das pessoas.
“Um Paraná moderno e inovador é a plataforma deste Governo, é a visão que a gente tem para construir um Estado mais favorável e simples ao cidadão. Do outro lado vamos possibilitar que startups se desenvolvam e gerem riqueza. Esse pensamento vai conectando o Paraná para liderar esse processo no país”, resumiu Allan Costa.
O presidente da Celepar também anunciou que o Estado do Paraná passará a compor um órgão internacional chamado Blockchain Research Institute, o mais relevante do mundo sobre segurança de dados. 

PRIMEIROS PROJETOS

O Estado prevê o anúncio de três grandes projetos digitais para os próximos meses. O primeiro é dirimir os gargalos das startups e criar uma plataforma de inovação aberta que contenha todos os ativos do Paraná para que elas possam se conectar e identificar aqueles importantes a seus negócios. A Fundação Araucária deve ajudar a remunerar esses projetos.
“Como se cria uma startup? Um grupo se reúne e encontra um problema relevante para resolver. A medida que a solução evolui esse grupo precisa de pesquisadores de inteligência artificial, por exemplo. Então cria-se um gargalo. Temos as universidades estaduais, os laboratórios e o Tecpar (Instituto de Tecnologia do Paraná). Temos que facilitar o desenvolvimento de pesquisas dentro das empresas, dentro das startups”, afirmou Allan Costa.
O segundo projeto será o desenvolvimento de competências para esse Estado do futuro. “A profissão mais necessária para a tecnologia hoje em dia é o cientista de dados. O Paraná não forma esse profissional. Daqui a algum tempo nós temos que dizer que o Estado tem todas as competências necessárias para essa nova onda”, completou o presidente da Celepar.
Por fim, o aceleramento de startups. O Poder Executivo pretende firmar parcerias com as empresas de tecnologia para entregar soluções rápidas para todos os órgãos do Estado. A partir disso, o Paraná pode olhar para outros mercados como a América Central e virar uma espécie de consultor e referência na aplicação de novas tecnologias.

REFORMA ADMINISTRATIVA

O chefe da Casa Civil, Guto Silva, também apresentou aos secretários o projeto de lei encaminhado na terça-feira, 12, à Assembleia Legislativa do Paraná. A redução de 28 para 15 secretarias possibilitou o corte de 313 cargos e deve gerar economia de R$ 10,5 milhões por ano.

Fonte: AEN
Foto: Rodrigo Félix Leal / ANPR

 

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.