Logotipo

Rapaz perde a vida ao cair do alto do Morro do Boi em Matinhos

09 de setembro de 2019

Corpo de Renan foi encontrado na tarde de sábado, 7, por Bombeiros e policiais militares

Compartilhe

Bombeiros e policiais militares localizaram o corpo de Renan Felipe Mesquita Steffen, de 20 anos, que estava desaparecido desde a noite de sexta-feira, 6, no Morro do Boi, na Praia Mansa, no balneário de Caiobá, em Matinhos.
A família de Renan registrou um boletim de ocorrência relatando o desaparecimento do rapaz, no final da manhã de sábado, 7. De acordo com a mãe do rapaz, ele e um grupo de amigos teriam subido o morro, na noite de sexta-feira, 6, e durante a madrugada Renan teria desaparecido.
Um casal relatou aos familiares de Renan que eles teriam dormido e cerca de 30 minutos depois, quando acordaram, não encontraram o amigo. Como o celular e o sapato de Renan estavam com eles, os dois resolveram descer alguns metros, acreditando que o rapaz tinha descido o morro. Perto da localidade conhecida como “Pedra da Corda”, o casal encontrou o boné de Renan. Eles continuaram a descida e pela manhã avisaram a família.
Bombeiros foram acionados por familiares e as buscas começaram pelos caminhos e trilhas que levam ao alto do morro.
No local onde Renan foi visto pela última vez, as equipes de busca encontraram garrafas de bebidas alcoólicas, uma quebrada.
Por volta das 16h, os bombeiros e policiais militares faziam buscas pela parte rochosa do morro e localizaram o corpo, que não estava muito longe do local onde Renan foi visto pela última vez.

Renan Felipe Mesquita Steffen estava desaparecido desde a noite de sexta-feira (Foto: Facebook)


O local foi isolado e depois da perícia, realizada pela criminalística, o corpo de Renan Felipe foi recolhido ao Instituto Médico Legal (IML) de Paranaguá, para exames complementares, os quais vão apontar a causa da morte. 
As primeiras informações coletadas na região onde o corpo foi encontrado indicam que Renan sofreu uma queda.
Uma equipe da Polícia Civil de Matinhos esteve no local e começou a investigação.


Colunistas