conecte-se conosco

Polícia

Policiais civis e militares recebem homenagem na Câmara de Vereadores

Policiais militares que atenderam a ocorrência e participaram da prisão dos dois suspeitos foram homenageados na Câmara de Vereadores

Publicado

em

Policiais civis e militares que atuaram no caso “Alcala” (homicídio do empresário parnanguara Geovane Alcala) foram homenageados na Câmara de Vereadores de Paranaguá, na sessão da terça-feira, 1.º, com Voto de Louvor. 

Equipes das duas forças policiais tiveram importante participação na elucidação do crime, desde o chamado, para atender um suposto latrocínio, roubo seguido de morte, até a coleta de depoimentos, que entrou pela madrugada, no dia do crime.

Além do Delegado da Polícia Civil que comanda as investigações, Nilson Diniz, a equipe de policiais que trabalhou no dia do crime também foi homenageada

Para o delegado da Polícia Civil que comanda a investigação, Nilson Diniz, “os policiais acabam fazendo muito mais que a lei manda e nem sempre temos esse trabalho reconhecido, então hoje realmente é um reconhecimento por horas que foram dispensadas da nossa folga, em especial no dia do crime, para elucidar, para colher todos os depoimentos, então isso realmente mostra que a gente está no caminho certo, está sendo feito o trabalho e a consequência é isso, o reconhecimento de toda a sociedade”, enfatizou.

Sargento Freitas, da ROTAM – Rondas Ostensivas Tático Móvel, do 9.º Batalhão de Polícia Militar, agradeceu a homenagem recebida e disse que, além da satisfação pessoal e profissional, sente-se honrado em ver o trabalho da Polícia Militar do Paraná sendo reconhecido desta forma. "Não é o trabalho de uma pessoa, nem de um grupo é o trabalho da Polícia Militar inteira, todos os homens e mulheres que fazem de tudo para proteger a nossa sociedade, o nosso Estado e todos nós", ressaltou.

No dia do crime, o autor confesso do homicídio foi encontrado horas depois, por policiais militares, escondido no forro da casa, onde o empresário foi morto.

Além dele, o filho da vítima, acusado de ser o mandante do crime, também foi preso.

O caso ganhou repercussão estadual e chocou a comunidade parnanguara.

 

 

Continuar lendo
Publicidade

Em alta