conecte-se conosco

Eventos

Kátia Muniz lança oficialmente o livro de crônicas “Gavetas não sabem ler”

Noite de autógrafos contou com a presença de mais de 100 pessoas

Publicado

em

Coquetel com noite de autógrafos foi realizada na Aciap pelo Conselho da Mulher Executiva

Na noite da terça-feira, 27, aconteceu no auditório da Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Paranaguá (Aciap), o lançamento oficial do livro de crônicas “Gavetas não sabem ler – Crônicas do Cotidiano”, da escritora e colunista da Folha do Litoral News, Kátia Muniz. O evento foi uma promoção do Conselho da Mulher Executiva da Aciap e contou com a presença de mais de 100 pessoas, entre escritores, líderes culturais, familiares da autora e imprensa. Após o lançamento, foi realizado um coquetel e uma sessão de autógrafos com a escritora. 

“O nome ‘Gavetas não sabem ler’ foi escolhido porque na época em que eu comecei a escrever, em 2011, eu engavetava todos os textos, e não adianta deixar texto engavetado, ele precisa sair da gaveta para apreciação dos leitores. Desengavetei estes textos e coloquei 80 crônicas em um livro para tudo ficar mais organizado”, explica Kátia Muniz. De acordo com a escritora, suas crônicas há muito tempo estão presentes em veículos de comunicação e, a partir de 2018, seus textos estão na coluna “Crônicas”, na Folha do Litoral News. 

Kátia Muniz agradeceu todo o apoio recebido para publicar a sua primeira obra como escritora

“Comecei em 2011 na brincadeira, não imaginava que ia ser algo tão sério, que bom que deu certo, para mim é uma terapia, me identifiquei demais com o gênero”, explica Kátia Muniz, destacando que sua crônica favorita é uma dedicada a sua mãe com o nome “Ela se chama Maria”. 

O livro tem a coordenação editorial do escritor Franco Rovedo, prefácio de Beto Pacheco e a foto de capa do fotógrafo André Alexandre. As crônicas do livro abordam temas como amizade, impressões sobre filmes, reflexões, relações humanas e amor. Os interessados podem adquirir a obra diretamente com a escritora através do e-mail: [email protected], da página do Facebook: www.facebook.com/katiamunizautora ou do WhatsApp (41) 99676-3006 pelo valor de R$ 35,00. “Agradeço à imprensa que me acolheu de forma muito respeitosa e carinhosa nesta maratona de 30 dias de divulgação”, acrescenta.

A presidente do Conselho da Mulher Executiva da Aciap, Jacqueline Guimbala, agradeceu ao presidente da Aciap, Eloir Martins, representado no evento pela esposa, Marlene Janete Engmann Martins, destacando o apoio da entidade às atividades do Conselho, que busca continuamente valorizar, incentivar e enaltecer o papel da mulher na sociedade parnanguara. “Ficamos muito felizes de nos reunirmos em torno de um propósito cultural, literário, agradecendo a nossa escritora Kátia Muniz, que escolheu a casa do empresário, Aciap, para lançar seu primeiro livro Gavetas não sabem ler”, explica Jacqueline. 

A presidente do Conselho da Mulher Executiva da Aciap, Jacqueline Guimbala, destacou o protagonismo de Kátia e sua fibra para a publicação do livro

“Kátia é mulher de fibra, corajosa, acreditou e realizou. Assim somos nós, mulheres. A alegria foi contagiante durante todo o processo. Os desafios, logo superados, deram lugar ao sentimento de dever cumprido. E tomados pelo espírito natalino, temos o prazer de fazer parte deste lançamento em que a escritora Kátia Muniz presenteia nossa cidade com o enriquecimento da cultura, da literatura pelas mãos e o olhar femininos. Contribuímos com a história da nossa cidade, reafirmando que temos talentos que levam Paranaguá aos anais da eternidade, como berço da cultura do Paraná”, enfatiza Jacqueline. "Agradecemos a Secretaria de Cultura e Turismo (Secultur), na pessoa do secretário Harrison Camargo, pelo apoio prestado a este evento", complementa 

FOLHA DO LITORAL NEWS

“Conviver com a Kátia é um privilégio e ler suas crônicas é muito mais. Sabemos da sabedoria, determinação, empenho e resiliência desta escritora”, afirma o diretor da Folha do Litoral News, Antonio Saad Gebran Sobrinho

O diretor comercial da Folha do Litoral News, Antonio Saad Gebran Sobrinho, destacou a importância do lançamento do livro, algo que só pode ser feito por alguém com talento, como é o caso da escritora Kátia Muniz. “O que ela escreve para nós, muitas vezes, cai como uma luva e, às vezes, de pelica. Conviver com a Kátia é um privilégio e ler suas crônicas é muito mais. Sabemos da sabedoria, determinação, empenho e resiliência desta escritora, aspectos que possibilitaram o lançamento de seu primeiro livro e esperamos ainda mais obras”, destaca. “Dia 15 de novembro fez um ano que a Kátia Muniz está conosco na Folha do Litoral News no impresso, digital e no Folha Play, em todas as nossas plataformas, chegando a 30, 40 e 300 mil pessoas tendo acesso a este veículo e sabendo que uma pessoa de Paranaguá está escrevendo, o que nos enche de orgulho”, acrescenta.

EDITOR E CRONISTA PARTICIPANTE DO LIVRO

O jornalista e escritor Beto Pacheco foi responsável pelo prefácio do livro e um dos mentores de Kátia Muniz

O jornalista e escritor Beto Pacheco foi responsável pelo prefácio do livro e um dos mentores de Kátia Muniz, incentivando a escritora parnanguara a publicar seus primeiros textos. “Fui convidado a escrever o prefácio do livro da Kátia, que é a pessoa que há oito anos me mandou uma mensagem. Então, talvez isso seja um recado de quanto as nossas ações impactam no que está a nossa volta, e às vezes ainda mais longe. Quando percebemos, a gente mudou a vida de uma pessoa, às vezes para o bem, outras para o mal, temos que tomar este cuidado de sempre ter gentileza. É um momento especial que a Kátia Muniz está vivendo, com foco no seu talento e sua paixão em escrever”, acrescenta. 

"Não é comum encontrar este nível alto de cronista, principalmente iniciante como a Kátia Muniz", ressalta Franco Rovedo, escritor que foi coordenador editorial do livro

“Este livro é um caso particular, porque eu sou escritor, e o escritor, para ser editor, tem uma exigência maior do que os editores normais, porque a gente acaba comparando com o próprio texto. Observando os textos da Kátia eu fiquei surpreso com a qualidade, isso junta com meu amor a Paranaguá, porque minha família é daqui, então eu fiquei muito satisfeito em poder colaborar com o livro dela, o qual é excelente”, destaca Franco Rovedo, escritor que foi coordenador editorial do livro. “Não é comum encontrar este nível alto de cronista, principalmente iniciante como ela. Além disso, é uma forma de valorizar Paranaguá, o berço da civilização paranaense, bem como da arte e da literatura do Paraná”, finaliza. 

Grande público prestigou lançamento do livro "Gavetas não sabem ler"

Continuar lendo
Publicidade

Em alta