Logotipo

Secretário de Segurança destaca avanços em armamento, tecnologia e módulos da GCM em Paranaguá

31 de agosto de 2019

Secretário de Segurança, João Carlos Silva, destaca que uma das metas da atual gestão é a integração da GCM com forças policiais, com foco na segurança da população (Foto: Divulgação)

Compartilhe

João Carlos Silva destacou que prefeito Marcelo Roque investiu mais de R$ 11,4 milhões desde 2017 em prol da Guarda Civil Municipal

Atuante durante 31 anos na Polícia Militar do Paraná (PMPR), desde janeiro de 2017, João Carlos Silva aceitou o convite do prefeito Marcelo Roque e assumiu como secretário municipal de Segurança em Paranaguá. A experiência do dia a dia na segurança pública e atuação nas ruas contra a criminalidade fizeram com que João Carlos focasse em sua gestão novos investimentos e estruturação contínua da Guarda Civil Municipal (GCM), que durante cerca de três anos e meio recebeu mais de R$ 11, 4 milhões de investimentos.

O secretário realizou um balanço dos últimos avanços obtidos na segurança pública local, entre eles aquisição de novos armamentos e motocicletas, futura instalação do Centro de Comando Operacional da GCM na prefeitura, com monitoramento e novas câmeras, implantação de módulos com viaturas em 12 bairros de Paranaguá, valorização da categoria da GCM e criação do aplicativo para celular "153 Cidadão". Confira a entrevista:

Folha do Litoral News: Quais os últimos investimentos que a prefeitura está realizando na Guarda Civil Municipal?

João Carlos: Recentemente entregamos mais seis motos Honda XR3 300 para que a Guarda Civil Municipal (GCM) faça um trabalho ainda mais atuante em Paranaguá, tanto no policiamento ostensivo, como nas fiscalizações de veículos e caminhões dentro do município. Além disso, adquirimos armamento para a GCM, são armas não-letais que eu aguardava com grande expectativa, até mesmo para a segurança dos guardas civis municipais em algumas ações de intervenção, principalmente na contenção, por exemplo, de pessoas com problemas mentais ou portando arma-branca, como foco na autodefesa. São armas totalmente seguras chamadas de pistola elétrica incapacitante, elas só tiram a reação do agressor. Além disso, neste mês chegaram 50 sparks contendo cada uma seis cartuchos, todos eles com porta-cartuchos, contando com 50 espargidores grandes que são componentes de pimenta para controle de tumultos e mais 128 pequenos, todos eles com suporte, dando assim uma maior segurança ao guarda civil municipal.

 

Folha do Litoral News: A tecnologia é um importante aliado da segurança pública. Como a Secretaria de Segurança tem investido em recursos tecnológicos como câmeras e central de monitoramento?

João Carlos: Hoje a segurança pública do País não tem como não ser feita com uso da tecnologia, até pela facilidade de detecção de veículos roubados, pessoas foragidas da Justiça, então é com muita satisfação que em breve estaremos já iniciando os trabalhos no nosso Centro de Comando Operacional da GCM a nível de primeiro mundo, inclusive levamos o coronel do 9.º Batalhão e o capitão Gabriel do Corpo de Bombeiros para conhecer nossa sala, que nos falaram que realmente tem todas as condições para que o agente de segurança trabalhe com conforto. Falo com experiência, pois enquanto fui policial militar na ativa passei 24 horas em uma sala de rádio, então é estressante, além das ocorrências tem o telefone tocando. Precisamos de um local adequado, com todo o conforto, para que o trabalho possa fluir com tranquilidade.

 

Folha do Litoral News: O Centro de Comando Operacional da GCM irá atuar com algo que já existe, que é a integração com outras forças policiais de Paranaguá. Certo?

João Carlos: É um pedido do prefeito Marcelo Roque que as forças de segurança trabalhem integradas. Como sempre digo, a GCM é um grande apoio ao Estado atualmente, embora não seja o nosso dever proporcionar a segurança pública, temos nossos direitos e responsabilidades. Já conversei com o coronel da Polícia Militar do Paraná, levaremos isso ao comandante da 6.ª Região da PMPR para que nós possamos fazer este acordo e para que eles possam junto conosco usufruir no novo Centro de Comando Operacional. Em outra edificação, não no novo prédio da prefeitura onde ficará o novo centro, teremos em breve um centro integrado do Corpo de Bombeiros, SAMU e Defesa Civil Municipal, algo que vejo com uma expectativa enorme. Esta foi uma meta que tive desde que assumi como secretário de Segurança para que todas as forças de segurança trabalhem de forma integrada, pois quem ganha com isso é a população.

 

Folha do Litoral News: Sobre os novos módulos que serão instalados nos bairros e novo aplicativo "153 Cidadão", qual o objetivo desta descentralização da segurança pública?

João Carlos: Módulos sustentáveis em contêineres serão instalados em bairros com estrutura digna para a GCM. Antes disso, estaremos lançando o aplicativo 153 Cidadão, que é algo fácil de ser usufruído e estará disponível para download dos cidadãos no Play Store do Google Play com cadastro de nome, endereço e telefone, fazendo com que automaticamente o munícipe faça parte do aplicativo interligado à Guarda Civil Municipal. Ainda com relação aos módulos sustentáveis, eles serão instalados em 12 bairros de Paranaguá, principalmente nas localidades com maior número de pessoas, nas proximidades de terminais de ônibus, bem como das praças onde os novos parquinhos foram instalados pela prefeitura, com foco no cuidado do equipamento público, bem como das crianças e pais que estão ali, focando o combate ao vandalismo nos playgrounds. Enquanto secretário de Segurança preciso fazer a minha parte em prol do cuidado com o patrimônio público, mas a população também precisa fazer sua parte. Acho inadmissível construir um parque e ter que cercá-lo, com medo de que meliantes à noite vão lá e destruam. Esses parques são para a comunidade, para crianças e famílias que não podem vir ao centro, para cidadãos que não têm dinheiro para pagar por brinquedos particulares. Estaremos fazendo nossa parte, cuidando dos equipamentos e da segurança da população, mas conclamo a população que nos ajude, que denuncie qualquer vandalismo ao telefone 153 da Guarda Civil Municipal, bem como pelo novo aplicativo que será uma forma de contato em tempo real com a gente.

 

Folha do Litoral News: Com relação aos guardas civis municipais, quais ações o município está realizando em prol da valorização e segurança da categoria?

João Carlos: Fui por 31 anos e sou policial militar, estou secretário de Segurança de Paranaguá, mas sou policial até morrer, até quando Deus quiser que eu fique aqui. Fora do sistema, a minha preocupação foi de ver a necessidade do cuidado da vida do agente. Assumi uma Secretaria onde de 316 guardas civis, somente 30 tinham colete balístico. Como é que eu iria cobrar que o guarda vá para as ruas, deixe suas famílias, para dar proteção para a sociedade se nem mesmo ele tinha? Hoje a realidade é outra. Com apoio do prefeito Marcelo Roque, vamos fechar este mês com mais de R$ 11,4 milhões em investimento na segurança, algo considerável, visto que fiz pesquisa em alguns municípios brasileiros e não vi até agora um prefeito que investiu este valor em suas Guardas Municipais. Infelizmente, muitos querem extinguir as Guardas Municipais de suas cidades, eu acredito que pelo andar da carruagem, logo nós teremos as polícias municipais, até pela rapidez de você estruturar a parte da segurança. Pensava muitos nos guardas municipais estarem desprovidos de armamento e proteção, hoje todos têm colete balístico e atualmente temos 135 guardas civis municipais armados, número que quando assumimos era de 30 guardas armados. Quero agradecer a todo o pessoal da Academia da Guarda Civil Municipal o empenho, com capacitação dos agentes com apoio da Polícia Federal. Nos últimos meses, mandei dois guardas para o Rio de Janeiro, que foram contemplados com o curso de treinamento das armas não-letais que estão chegando aqui.

 

Folha do Litoral News: Quais os próximos investimentos previstos na questão da viatura e monitoramento das ruas pela GCM?

João Carlos: Já está para vir minuta na Procuradoria Geral do Município para aquisição de mais 10 viaturas da GCM. Serão pick-ups 4x4 para realmente fazer um trabalho com qualidade para a população. Às vezes, as pessoas criticam sobre os valores dos carros na licitação, mas não sabem que não são veículos normais, são veículos com rádio, sirene, giroflex, o que acaba encarecendo, mas que durante a licitação os preços caem consideravelmente, algo que tem acontecido nos nossos processos licitatórios. Temos feito uma economia considerável. Estou com expectativa grande da vinda dessas viaturas, algo que dará maior proteção para a população parnanguara que merece e está carente. Até vi o ministro Moro falando que ele se frustra, pois quando você entra no sistema nem tudo é como você pensa, mas eu não posso reclamar da minha secretaria nesses dois anos e oito meses, pois o prefeito tem me apoiado maciçamente e o serviço tem saído. Fico contente e peço o apoio da população, pois continuarei fazendo o meu melhor enquanto permanecer à frente da Secretaria Municipal de Segurança.

 

Folha do Litoral News: Qual a análise o senhor faz dos avanços obtidos na segurança pública municipal?

João Carlos: A evolução é grande, estou trabalhando muito. Quando fui convidado pelo prefeito aceitei de imediato, mas em momento algum prometi que seria salvador da pátria, até porque eu trabalhei por 31 anos e, infelizmente, eu olho para trás e vejo que aquela ânsia de acabar com a criminalidade ficou um pouco a desejar. Estamos em outros tempos de segurança pública, na minha época era diferente, hoje vemos um indivíduo cometer cinco, seis crimes em um mês. Embora falem que é enxugar gelo, mas esta é a profissão, se precisarmos prender o marginal 5, 10, 20, 30 vezes, aí depende da Justiça e não do policial. Cada um trabalha dentro de suas leis. Estou fazendo o meu melhor. Existem críticas de uma minoria, quando assumi como secretário sabia que seria um desafio, até porque quando fui policial militar recebia a estrutura do Estado e ia para a rua trabalhar, hoje estou do outro lado da mesa correndo atrás da estrutura para poder dar condições do guarda trabalhar com proteção e dar proteção para sociedade, o que não é uma missão muito fácil, pois você abdica da sua família, dos seus filhos, dos fins de semana e feriados, para estar conectado e dar segurança para a população. Não acredito em dar sensação de segurança, ou você dá segurança ou não dá. Estou satisfeito com a evolução da Guarda Civil Municipal.

 


Colunistas