Connect with us

Entrevista

Catarata: Oftalmologista cita os sinais de alerta para a doença

Dr. Sidarta Keizo Hossaka explicou quando é realizada a cirurgia que devolve qualidade de vida aos pacientes

Publicado

em

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) e a Agência Internacional de Prevenção da Cegueira apontam que o número de pessoas cegas ou com visão comprometida no mundo chega a 253 milhões. No entanto, estima-se que 75% dos casos podem ser reversíveis, ou seja, há soluções que possibilitam devolver a visão para grande parte dessas pessoas.

A catarata é uma das causas da cegueira e o médico oftalmologista, Dr. Sidarta Keizo Hossaka, é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Refrativa e Catarata e atua em Paranaguá no Instituto de Olhos Pró-Visão. Ele explica quais os sinais que podem servir de alerta para que a população procure ajuda médica para solucionar o problema. A cirurgia de catarata, através da tecnologia aplicada, evoluiu muito ao longo dos anos e pode devolver qualidade de vida ao paciente. Confira:

Folha do Litoral News: O que é a catarata e quais os primeiros sinais que podem servir de alerta para procurar ajuda médica?

Dr. Sidarta: Dentro do olho temos uma estrutura chamada cristalino e, com o passar dos anos, ela pode começar a ter uma perda de transparência. Qualquer opacidade parcial ou total do cristalino é chamada de catarata. Os sintomas geralmente são embaçamento visual, aumento de sensibilidade com a claridade e também é muito comum a redução de sensibilidade em situações de baixo contraste como no fim do dia e noite a visão fica mais prejudicada. Alguns tipos de catarata também podem apresentar sintomas diferentes. Mas, basicamente, os mais comuns são esses.

 

Folha do Litoral News: A catarata pode acometer crianças, adultos e idosos?

Dr. Sidarta: A catarata pode ser dividida entre a forma congênita ou adquirida. A congênita não é muito comum, já a adquirida, a mais comum é a senil, que é a do idoso. Mas pode acontecer em pacientes mais jovens. Os fatores associados para surgimento mais cedo são o diabetes, tabagismo, algum traumatismo ocular, algum tipo de inflamação dentro do olho, o uso frequente de corticoide, seja de forma tópica em colírio ou de forma sistêmica que são as injeções e comprimido, esses fatores podem aumentar o risco de catarata mais cedo. Há ainda outras causas como o choque elétrico, que não é tão comum, mas pode acontecer.

 

Folha do Litoral News: Sol em excesso e a utilização de óculos de sol de baixa qualidade podem ser consideradas algumas das causas da catarata?

Dr. Sidarta: Sim. A radiação ultravioleta, a UVB, pode com o tempo danificar a lente dos olhos, que é o cristalino, e isso levar ao amarelamento e catarata. Os óculos de sol de pouca qualidade não têm o filtro adequado contra irradiação, porém, por ser escuro, vai propiciar que a pupila fique maior, o que aumenta a radiação solar nos olhos. Por isso, os óculos inadequados até aumentam mais o risco de problemas do que, por exemplo, se a pessoa não utilizasse óculos de sol.

 

Folha do Litoral News: A cirurgia de catarata evoluiu muito com o passar dos anos. Em que momento ela é indicada?

Dr. Sidarta: A cirurgia só é indicada quando há um comprometimento da visão do paciente, isso pode acontecer em qualquer estágio da doença. Tem paciente idoso com catarata, mas é um quadro inicial, e não restringe em nada a sua atividade, nesse caso não seria necessário operar nesse momento. Mas, invariavelmente com o tempo todas vão desenvolver algum grau de catarata, o que pode comprometer alguma atividade diária. A cirurgia realmente sofreu muitas mudanças nas últimas décadas, é um procedimento considerado de alta complexidade porque utilizamos bastantes materiais bem complexos, mas é uma cirurgia bastante segura e acabou, por conta disso, ficando mais rápida. A tecnologia avançada permitiu que fosse uma cirurgia rápida e segura, mas há equipamentos de alta precisão. A recuperação, na grande maioria das vezes, costuma ser bem rápida. O que diferencia um pouco é o processo inflamatório no pós-operatório. Há pacientes que têm uma catarata mais avançada ou algumas comorbidades o que faz com que o quadro demore mais para ter uma pronta recuperação.

 

Folha do Litoral News: Qual o salto em qualidade de vida que uma pessoa tem após a cirurgia?

Dr. Sidarta: Estudos indicam que a cirurgia de catarata pode aumentar a longevidade, porque a visão permite uma certa independência, seria um dos sentidos que permite mais independência das pessoas. Por isso, é muito comum pacientes que fazem a cirurgia conseguirem ter uma convivência familiar melhor, praticar atividade física, isso acaba influenciando na qualidade de vida e até na longevidade.

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.