Connect with us

Portos do Paraná

Movimento de dez meses indica novo recorde dos portos do Paraná neste ano

Estado se prepara para ultrapassar o recorde histórico de 53 milhões de toneladas no ano, alcançado em 2019 (Foto: Claudio Neves/Portos do Paraná)

Publicado

em

De janeiro a outubro, movimentação foi equivalente a 92% do ano passado

Os Portos do Paraná movimentaram, em dez meses, de 2020 o equivalente a 92% do total de todo o ano passado. Com isso, o Estado se prepara para ultrapassar o recorde histórico de 53 milhões de toneladas no ano, alcançado em 2019. Se repetir o bom desempenho dos últimos meses, a marca deve ser batida com folga.

De janeiro a outubro deste ano, os portos de Paranaguá e Antonina já operaram 48.982.453 toneladas de carga. “Faltam 4,2 milhões de toneladas para chegar ao número do ano passado e estamos muito otimistas”, diz o diretor-presidente da empresa pública Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

“Em 2019, os dois últimos meses do ano responderam por, aproximadamente, 8,5 milhões de toneladas. Claro que existem questões climáticas, que podem impactar nas operações, mas a expectativa é ultrapassar este número em cerca de 8%”, avalia Garcia.

 Até o momento, a alta registrada, na comparação entre janeiro e outubro de 2019 e os mesmos meses de 2020, já é de 10%. “Apesar da pandemia, o ano foi de muito trabalho. As exportações de grãos e alimentos cresceram, com o câmbio favorável, e o tempo seco favoreceu os embarques”, conta.

Alta

Em 2020, os portos paranaenses bateram mais de dez recordes de movimentação e a quantidade ficou acima de 5 milhões de toneladas em seis dos dez meses (março, abril, maio, julho, agosto e setembro). Em 2019, no mesmo período, o número só chegou nesse patamar em junho, julho e agosto. 

“O esforço dos trabalhadores portuários, de armazenagem, caminhoneiros, ferroviários e produtores rurais foi essencial. O desempenho e a eficiência de toda a comunidade portuária, desde o apoio marítimo, passando pela praticagem, até os operadores e a nossa equipe, fizeram o Paraná driblar a crise e manter empregos e renda”, destaca o diretor-presidente.

2020

Cerca de 65% da movimentação dos portos paranaenses, entre janeiro e outubro deste ano foram de produtos de exportação: 38,1 milhões de toneladas de cargas. O volume, nesse sentido do comércio exterior, é 13% maior que o registrado no mesmo período, em 2019 (28,2 milhões de toneladas). As importações somaram 17,1 milhões de toneladas. Cerca de 4% mais que no ano passado, com 16,4 milhões de toneladas.

Grãos 

Mais de 66% das exportações e importações foram de granéis sólidos. Foram quase 32,5 milhões de toneladas de grãos, movimentadas entre de janeiro e outubro de 2020. No ano anterior, foram 29,6 milhões de toneladas (alta de 10%).

Nesse segmento, destaque para o aumento de 78% registrado no volume de açúcar embarcado. Já são 3,67 milhões de toneladas exportadas, ante 2 milhões em 2019. Somente no último mês, foram 566.617 toneladas, mais que o dobro do que o registrado em outubro do ano passado.

Soja 

A oleaginosa segue como o produto mais movimentado nos portos paranaenses. No acumulado do ano, 14 milhões de toneladas de soja em granel foram exportadas. Quase 50% mais que as 9,6 milhões de toneladas registradas no ano passado. Além do produto em grão, o óleo de soja também foi destaque. Foram 767 mil toneladas exportadas, 20% a mais que as 638 mil de 2019.

Líquidos 

Somando todos os granéis líquidos foram 6,3 milhões de toneladas exportadas e importadas. Além de óleo vegetal, crescimento na exportação de derivados de petróleo, com 579,7 mil toneladas (48% mais que no ano passado).

Importação 

Entre as mercadorias compradas do exterior pelos brasileiros, destaque para o volume de fertilizantes desembarcados. De janeiro a outubro foram 8,15 milhões de toneladas foram importadas (alta de 7%).

Outros Segmentos 

De carga geral, foram cerca de 10,2 milhões de toneladas de cargas movimentadas até agora – 9% a mais que as 9,3 toneladas registradas no ano passado.

Fonte: AEN

Leia também: Investimentos públicos e privados ampliam capacidade do Porto de Paranaguá