conecte-se conosco

Polícia

Receita Federal e Polícia Federal desarticulam organização investigada pelo envio de 17 toneladas de cocaína para a Europa

Operação Hinterland possui o objetivo de coibir crimes de tráfico internacional de drogas da América do Sul para a Europa

Publicado

em

Foto: Receita Federal

A Receita Federal e a Polícia Federal deflagraram nesta quinta-feira (30/03), em Rio Grande/RS, Balneário Camboriú e Itajaí/SC, a Operação Hinterland, com o objetivo de coibir crimes de tráfico internacional de drogas da América do Sul para a Europa e lavagem de dinheiro promovidos por operadores que se utilizavam de empresas de logística marítima sediadas nos portos de Rio Grande (RS) e Itajaí (SC). 

As apurações realizadas pela Receita Federal do Brasil constataram a incompatibilidade entre o volume de recursos recebidos e a operação de diversas empresas utilizadas pelo grupo criminoso. Empresas de fachada e o uso de interpostas pessoas com o intuito de ocultar a origem de valores obtidos com a prática criminosa e de bens adquiridos para usufruto de membros da quadrilha também foram evidenciadas. Além disso, verificou-se a realização de operações de exportação incoerentes sob o ponto de vista comercial, com o objetivo de encobrir o envio de carga ilegal.  

No entanto, o fato sem precedentes verificado com a deflagração desta operação, no que se refere às atividades de controle aduaneiro realizadas pela Receita Federal, foi o envolvimento direto de um dos principais grupos empresariais de logística portuária do sul do Brasil com o tráfico internacional de drogas. O grupo empresarial, irrigado com expressivo volume de recursos advindos da atividade criminosa, encontrava-se em franca expansão, planejando inclusive adquirir direitos de concessão para operações portuárias. 

Para o desenvolvimento e execução da Operação Hinterland, celebraram-se termos de Cooperação Jurídica e Policial Internacional com a Alemanha, Paraguai, França e Espanha, possibilitando a execução de diversas medidas no exterior. 

A operação contou com a participação de 200 policiais federais e 12 auditores-fiscais e analistas-tributários da Receita Federal, que cumpriram 19 mandados de prisão preventiva e 37 mandados de busca e apreensão no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Amazonas e Rondônia, além de Assunção no Paraguai. 

Foram executadas ordens judiciais para o sequestro de 159 bens móveis e imóveis como aeronaves, automóveis, apartamentos e áreas rurais avaliadas em mais de 500 milhões de reais, além do bloqueio de contas bancárias vinculadas a 140 CPFs e CNPJs. 
 
Fonte:

Seção de Comunicação Institucional e Cidadania Fiscal – Sacin

Superintendência Regional da Receita Federal na 9ª RF – Paraná e Santa Catarina

Em alta

plugins premium WordPress