Connect with us

Polícia

PF prende blogueiro Oswaldo Eustáquio por risco de fuga ao Paraguai

Blogueiro bolsonarista é investigado em inquérito do STF

Publicado

em

Na sexta-feira, 26, a Polícia Federal (PF) prendeu o jornalista e blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio, que está sendo investigado em inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF), o qual investiga um esquema de financiamento de atos antidemocráticos. A prisão aconteceu em Campo Grande – MS. Segundo a PF, a suspeita é de que ele estaria em fuga para o Paraguai. Eustáquio atuou por anos no jornalismo de Paranaguá e no Paraná. 

Segundo a PF, a ordem prisional foi do ministro do STF, Alexandre de Moraes, relator do inquérito que investiga manifestações anti-democráticas em prol da ditadura militar e outras ações extremistas.

Ministério da Família

Eustáquio é casado com Sandra Terena, secretária nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) do governo do presidente Jair Bolsonaro. 

Oswaldo Eustáquio possui ligação com a líder do grupo extremista “300 do Brasil”, Sara Giromini, conhecida como Sara Winter. Ela havia sido presa na última semana e foi solta na terça-feira, 23. Sara lidera o grupo de manifestantes que pediram intervenção militar, a volta do AI-5 (Ato Institucional N.º 5) e o fechamento do Congresso e do STF, um caso de retorno à ditadura. De acordo com o MPF (Ministério Público Federal), há indícios de que o grupo continua organizando e captando recursos financeiros para ações que se enquadram na Lei de Segurança Nacional, que define crimes contra a ordem política e social.

Com a palavra, o blogueiro Oswaldo Eustáquio

O escritório Elias Mattar Assad & Advogados Associados divulgou uma nota à imprensa, na qual comunica que foi mobilizado pelo jornalista para formular sua defesa e pedido de revogação de prisão, junto ao Supremo Tribunal Federal.

“Pela nossa Constituição, podemos discordar com o modo de ser ou pensar de qualquer pessoa, mesmo de Osvaldo Eustáquio, em seu candente estilo próprio de jornalismo – a exemplo de apresentadores de “programas policiais” sensacionalistas, vez por outra até ofendendo partes, magistrados, membros do MP, advogados e policiais, com eventuais sanções civis indenizatórias, tutelas inibitórias, etc. Mas levar jornalistas ao calabouço, pelo uso da palavra escrita ou falada, mesmo por militância política, exige melhor reflexão e ponderação, pelo perigosíssimo precedente”, destacou os advogados.

Segundo a defesa de Eustáquio, o mesmo não estava tentando fugir do País. “Osvaldo tem fortes laços familiares com a região fronteiriça onde estava e sempre a frequentou. Em última postagem do Instagram fez matéria focando o ‘comércio aberto no Paraguai nestes tempos de pandemia’. Se estivesse ‘tentando fugir’, não postaria em sua rede social. Espera a defesa que seja revogada a prisão temporária desnecessária, posto que nunca fora indiciado ou sequer intimado para qualquer ato investigatório”, concluiu os advogados Elias Matar Assad, Ricardo Freire Vasconcelos e Paulo Goyaz Alves da Silva.

Confira a nota na íntegra: