conecte-se conosco

Polícia

PCPR mira integrantes de associação criminosa ligada a fraudes contra o Nota Paraná

O grupo é investigado por estelionato contra a administração pública

Publicado

em

Equipes da Polícia Civil do Paraná cumpriu 45 ordens judiciais contra integrantes de associação criminosa ligada a fraudes contra o programa Nota Paraná. A mobilização policial que aconteceu na manhã desta quinta-feira, 16, contou com o apoio da Receita Estadual, Ministério Público do Paraná e Polícia Científica.

O alvo da ação policial são integrantes de uma associação criminosa ligada a fraudes contra o programa Nota Paraná

Foram cumpridos 15 mandados de busca e apreensão, 10 apreensões de veículos e 15 bloqueios de contas bancárias e aplicações financeiras no valor de R$ 440 mil cada.

A ação ocorreu de forma simultânea em municípios da Região Metropolitana de Curitiba.

INVESTIGAÇÕES

As investigações de alta complexidade da PCPR tiveram início após a coordenadora geral do Nota Paraná identificar diversas irregularidades e fraudes a partir de entidades beneficentes e empresas participantes do programa.

Equipes da Polícia Civil cumpriram 45 ordens judiciais em municípios da Região Metropolitana de Curitiba. A ação contou com o apoio da Receita Estadual, Ministério Público do Paraná e Polícia Científica

As empresas subvertiam o lançamento das notas para entidades sociais sem o consentimento dos consumidores. Ainda evidenciou-se que algumas entidades sociais, com intuito de benefício próprio, furtavam urnas contendo notas fiscais doadas à outras instituições.

O grupo é investigado por estelionato contra a administração pública, já que obrigavam vantagem ilícita em prejuízo de outras instituições beneficentes e do Estado.

O grupo é investigado por estelionato contra a administração pública, já que obrigavam vantagem ilícita em prejuízo de outras instituições beneficentes e do Estado.

A PCPR também apurou que as instituições ainda empregavam irregularmente os créditos obtidos no Nota Paraná, sem que houvesse comprovação da utilização na atividade de entidade social. Durante as diligências ainda foi apurado que membros da diretoria e do conselho fiscal recebiam pagamentos em valores substanciais e sucessivos. Os indivíduos falsificavam assinaturas e recibos.

Com imagens e informações da PCPR

Veja o vídeo da ação deflagra pela PCPR nesta quinta-feira, 16, na Região Metropolitana de Curitiba: