conecte-se conosco

Polícia

Ação conjunta prende suspeito de homicídio em Paranaguá

Matheus de Paula Cordeiro, conhecido como “Guma”, foi executado com três disparos de arma de fogo em um clube social de Paranaguá

Publicado

em

A troca de informações entre equipes da Polícia Civil que atuam na Delegacia Cidadã de Paranaguá e o Serviço de Inteligência do Batalhão de Polícia de Choque, da Polícia Militar, resultou na prisão de Paulo Ricardo Ribeiro Pregidio, de 23 anos.

A prisão aconteceu no começo da noite de segunda-feira, 21, em uma casa, no bairro Jardim Samambaia, em Paranaguá.

HOMICÍDIO

De acordo com a Polícia Civil, Paulo Ricardo vinha sendo investigado pela morte de Matheus de Paula Cordeiro, de 27 anos, conhecido como “Guma”. O crime ocorreu no dia 9 de janeiro deste ano, em um clube social da cidade.

O homicídio aconteceu em um espaço destinado para eventos e confraternizações, ao lado de canchas de futebol sintético

Policiais civis apuraram que Paulo Ricardo foi o autor dos disparos e por este motivo um mandado de prisão foi expedido pela Justiça local.

PRISÃO

Durante diligências realizadas por equipes do Batalhão de Polícia de Choque, através do setor de inteligência, a casa onde o foragido estava escondido foi localizada.

O imóvel, na Travessa Emilio Cezar Gonçalves, foi cercado e os policiais realizaram a abordagem.

Apontado como autor do crime, Paulo Ricardo Ribeiro Pregidio foi preso em uma casa, no Jardim Samambaia

Paulo Ricardo não reagiu ao cerco policial e foi preso. Ele carregava uma pistola calibre 9mm, com 16 munições intactas.

Diante da situação, ele foi encaminhado para a Cadeia Pública de Paranaguá.

No imóvel onde a prisão aconteceu os policiais encontraram uma pistola, calibre 9mm, com 16 munições intactas

RELEMBRE O CRIME

Matheus de Paula Cordeiro, conhecido como “Guma”, foi executado com três disparos de arma de fogo. Testemunhas relataram que Matheus estava em um espaço destinado para eventos e confraternizações, ao lado de canchas de futebol sintético, quando um indivíduo vestindo roupas escuras, com capuz e máscara de proteção, se aproximou e atirou três vezes na sua direção.

O primeiro tiro teria atingido a região da nuca de Matheus, que ferido, caiu no chão e foi alvejado outras duas vezes. Após os disparos, o assassino fugiu correndo.