Connect with us

Polícia

Ação conjunta apreende 324 quilos de cocaína no terminal de contêineres do Porto de Paranaguá

Publicado

em

324 quilos de cocaína

Um contêiner carregado com compensados de madeira, que seria enviado para o porto de Antuérpia, na Bélgica, foi apreendido na manhã desta quarta-feira, 4, durante uma ação conjunta de fiscalização deflagrada por agentes da Receita Federal e Polícia Federal, no terminal de contêineres do Porto de Paranaguá, com 324 quilos de cocaína. A droga estava escondida no meio da carga.

SCANNER

Os agentes e policiais que atuam no trabalho de fiscalização das mercadorias que são movimentadas no terminal localizaram os tabletes da droga durante uma ação rotineira de monitoramento.

As equipes contam com um scanner de alta precisão e ao identificar uma situação suspeita, dentro da estrutura, ela é separada e aberta.

17° APREENSÃO

Foi a décima sétima apreensão de cocaína no terminal de contêineres do porto, este ano. Ao todo, foram apreendidas mais de 5.5 toneladas do entorpecente durante as ações de fiscalização realizadas em 2020.

A última aconteceu no dia 26 de setembro, quando foram apreendidos cerca de 254 quilos da droga. As bolsas com o entorpecente foram colocadas dentro de um contêiner carregado com bobinas de papel, que seria enviado para o porto espanhol de Algeciras.

INVESTIGAÇÃO

Além do trabalho de fiscalização realizado no terminal de contêineres do porto, as equipes da Polícia Federal e Receita Federal monitoram empresas suspeitas ligadas ao setor de exportação de mercadorias.

Toda a droga apreendida é encaminhada para a Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, que segue com as investigações. Ninguém foi preso.

PANDEMIA

O trabalho de fiscalização e monitoramento de cargas movimentadas no terminal portuário paranaense segue sendo realizado pelos agentes da Receita Federal e Polícia Federal mesmo durante o período de pandemia da Covid-19.

As equipes cumprem todos os protocolos e medidas de proteção impostas pela Organização Mundial de Saúde e Ministério da Saúde, uma vez que a atividade desenvolvida pelos órgãos federais é essencial para o país.

Com informações e fotos da RFB.