conecte-se conosco

Litoral

Prefeito aborda situação do serviço de ferry-boat e colisão de balsas em Guaratuba

Roberto Justus afirmou que incidente está sendo apurado pelas autoridades

Publicado

em

Na noite do último domingo, 27, o serviço de travessia da baía de Guaratuba, gerido atualmente de forma emergencial pela empresa Internacional Marítima, registrou um incidente onde duas embarcações colidiram quando estavam em operação, algo que pode ter gerado avarias em veículos que estavam nas balsas.

Na terça-feira, 29, o prefeito de Guaratuba, Roberto Justus, em solenidade realizada no Palácio Iguaçu, em Curitiba, onde o governador Carlos Massa Ratinho Júnior anunciou o anteprojeto para duplicação na via entre o município e Garuva orçada em R$ 1.052.374,43, bem como acordo com o Ministério Público do Paraná (MPPR) para futura construção da ponte de Guaratuba apenas para veículos leves, abordou também o último incidente com o ferry-boat e a situação atual do serviço.

“Muitas pessoas falam que não mudou nada, que mudou a empresa, mas os problemas continuam. Do ponto de vista dos transtornos a gente pode até concordar, mas do ponto de vista da postura da empresa é muito diferente. Nós tínhamos uma empresa que não investia e que sucateou todos aqueles equipamentos, balsas, ferry-boats e tudo mais. Hoje nós temos uma empresa que está investindo, já foram mais de R$ 5 milhões investidos alí, e que até resolver vai um tempo, não consegue resolver tudo de uma hora para outra”, afirma o prefeito.

Segundo Justus, uma das benfeitorias realizadas é a revitalização total de um dos flutuantes. “Com isso, você precisa interditá-los e isso gera transtorno, fila, mas a gente está acompanhando de perto e entende que estamos avançando, que em breve esta questão ou que a maior parte dos transtornos será resolvido”, acrescenta. 

Sobre o incidente de colisão de duas balsas, o prefeito afirma que a ocorrência será investigada. “Tem cara de ser erro humano, mas também pode ser falha mecânica ou de problema do dimensionamento do rebocador com a balsa, mas é algo para os técnicos definirem”, afirma. 

O prefeito defendeu também a construção da ponte de Guaratuba. “O governador está bastante comprometido em construir esta ponte e vai construí-la. Eu fui um dos primeiros a dizer que acreditava nisso, hoje já tem bastante gente acreditando. Temos que aguardar a conclusão do licenciamento que a gente tem certeza de que vai acontecer neste ano para que ainda em 2022 o governador lance o edital para a contratação da empresa que vai fazer o projeto e a obra. Isso muda todo o perfil da nossa cidade e do litoral, vai trazer muito desenvolvimento e geração de emprego para toda a nossa região”, salienta.

DER-PR

Em nota sobre a colisão das balsas, o Departamento de Estradas e Rodagem do Paraná (DER-PR) afirmou que a ocorrência foi classificada como sem gravidade, sem feridos e com posterior liberação das balsas para operarem, mas que abriu processo administrativo para apurar responsabilidades e medidas cabíveis, com abertura de inquérito de responsabilidade pela Marinha do Brasil junto aos mestres de embarcações. 

“Possíveis avarias em veículos sendo transportados serão ressarcidas pela empresa que opera a travessia”, afirma o DER-PR.  Segundo o departamento, foram solicitados esclarecimentos à empresa quanto à ocorrência, sendo aberto processo administrativo para apurar responsabilidades e medidas cabíveis. 

Internacional Marítima se posicionou oficialmente. Marinha do Brasil investiga caso (Foto: Ilustrativa)

Marinha do Brasil

“A Marinha do Brasil (MB) informa que, na noite do dia 27, a Capitania dos Portos do Paraná (CPPR) tomou conhecimento da ocorrência de um acidente na Baía de Guaratuba, no qual o ferry-boat Piquiri abalroou a balsa Vitória durante a atracação em Caiobá. Na mesma noite foi enviada uma equipe de Inspeção Naval (IN) para averiguar a situação do acidente. Não houve registro de vítimas e nem de grandes avarias nas embarcações  mas, pela inércia, alguns veículos se movimentaram e sofreram danos”, informa em nota a Marinha.

Segundo a CPPR, após verificação das duas embarcações pela equipe de Inspeção Naval, “foi constatado que  as embarcações poderiam continuar sua operação normalmente”, completa. “Um inquérito administrativo foi instaurado pela CPPR, a fim de apurar a causa do acidente e possíveis responsabilidades”, informa.

“A MB informa também que, como Autoridade Marítima, tem como propósito de assegurar salvaguarda da vida humana, a segurança da navegação e a prevenção da poluição hídrica por parte de embarcações. Dentro desse escopo, a Capitania dos Portos do Paraná vem atuando na fiscalização regular da travessia de Guaratuba”, finaliza a Marinha do Brasil.

Internacional Marítima se posiciona

Em nota, a Internacional Marítima explica que a ocorrência foi entre o ferry-boat Piquiri, em uma aproximação com a balsa Vitória, rebocada pelo Marfort 22, no sentido Caiobá e Guaratuba, contabilizando um pequeno incidente.

“Não houveram avarias nas embarcações e, pela inércia, alguns veículos se movimentaram e sofreram danificações. Todos os protocolos  de emergência e segurança foram, imediatamente, tomados e não tivemos registros de nenhuma vítima. As providências de assistência às pessoas que tiveram seus veículos avariados já estão sendo tomadas”, detalha a empresa.

Reparos em atracadouro

Segundo a empresa, na terça-feira, 29, e na quarta-feira, 30, das 20h às 8h, respectivamente, haverá restrição de tráfego para veículos pesados no serviço marítimo de transporte da baía de Guaratuba. “Nestes períodos, o atracadouro 04 será submetido a reparos no sentido de garantir a segurança, comodidade e eficiência dirigida aos usuários.  A Internacional Marítima reitera seu compromisso de trabalhar de modo a garantir um atendimento cada vez melhor aos seus clientes”, finaliza a nota.