conecte-se conosco

Litoral

PCPR alerta sobre golpes de aluguel durante a temporada no Litoral

Golpe do falso aluguel só é descoberto quando o locatário chega no imóvel

Publicado

em

Foto: Divulgação / PCPR

A Polícia Civil do Paraná alerta turistas e moradores sobre golpes de aluguel durante a temporada no litoral do Estado. Diversos veranistas estão no Litoral do Paraná para curtir a época de veraneio e as festas de fim de ano, consequentemente, a procura por quartos, quitinetes e casas aumenta muito, principalmente nos dias que antecedem as festas. A PCPR reforça para que as pessoas fiquem alerta com propostas de preços muito baixos ou propostas fáceis.

Os estelionatários acabam se aproveitando do fator financeiro e aplicando golpes que, em alguns casos, acabam sendo descobertos só quando o locatário chega no imóvel, ocasionando transtorno e frustração às famílias, que buscam lazer e descanso nessa época do ano.

Um dos meios mais utilizados pelas pessoas para pesquisar imóveis são os sites de busca e aplicativos de locação, os quais merecem atenção do locatário, pois a maioria não detalha as referências do locador ou sua reputação positiva levantada a partir de outros locadores. A dica é buscar por anúncios de pessoas que tenham referência, ou diretamente em imobiliárias que possuam credibilidade no mercado.

Os estelionatários costumam simular que outros clientes estão interessados pelo imóvel e exigem o pagamento antecipado de uma parte do valor da locação

Entretanto, os golpes também podem acontecer por meio de conversas por telefone, em que criminosos e vítimas conversam sobre o imóvel e as facilidades da locação. O estelionatário envia fotos, vídeos e fornece informações de utilidade que garantem uma suposta credibilidade à negociação. O golpe se efetiva quando a vítima deposita o valor de sinal para pagamento do valor de locação, que geralmente tem um bom custo e benefício.

Para induzir a vítima ao golpe, os criminosos costumam simular que existem outros clientes interessados pela mesma locação. Assim, a vítima se vê obrigada a fechar negócio. O pedido de pagamento do depósito inicial varia de 10% a 50% do valor contratado no intuito de garantir a locação.

Caso a pessoa tome as precauções necessárias e, mesmo assim, acabe sendo vítima do golpe, ela deve fazer o boletim de ocorrência e repassar a maior quantidade possível de informações do estelionatário, para que a equipe policial possa fazer as diligências necessárias que permitam a identificação e prisão do criminoso.

Com informações e fotos da PCPR