conecte-se conosco

Litoral

Frio retorna ao sul do Brasil na segunda semana de setembro

Previsão indica que esta deve ser a última onda de frio do ano

Publicado

em

O litoral do Paraná tem registrado, nos últimos dias, a predominância de dias chuvosos, nublados e com quedas nas temperaturas. O Climatempo, com base na análise dos meteorologistas, divulgou que a última onda de frio deve ocorrer na região sul do País na segunda semana de setembro. 

“Ainda no fim de semana uma área de baixa pressão atmosférica se forma sobre a costa do Rio Grande do Sul e Uruguai, dando origem a um ciclone extratropical. A partir da próxima segunda-feira, 6, uma outra área de baixa pressão atmosférica vai se formar sobre o Paraguai, se alongando no Estado gaúcho e provocando fortes temporais”, afirmou o Climatempo.

Entre a terça-feira, 7, e quarta-feira, 8, este sistema chega ao litoral do Rio Grande do Sul dando origem a uma frente fria. Esta nova frente fria avança pelo sul do Brasil provocando chuva forte no Rio Grande do Sul e sobre várias áreas do Estado de Santa Catarina e do Paraná.

“Na retaguarda deste sistema, uma nova massa de ar frio avança e derruba as temperaturas na região. O pico do frio vai se concentrar entre a sexta-feira, 10, e o sábado , 11. Não se descarta a possibilidade de geada pontual em áreas das serras gaúcha e catarinense”, alertou o Climatempo.

A meteorologia ainda indica que esta deve ser a última onda de frio um pouco mais intensa deste inverno, mas, não se compara à onda de frio do mês de julho.

Temperatura

Já de acordo com a análise da MetSul Meteorologia, setembro de 2021 deve ser marcado por temperatura acima da média histórica em quase toda a região ou mesmo em todo o Sul do Brasil. No Rio Grande do Sul, os desvios positivos devem ser menores à medida que as massas de ar frio devem atuar mais no Estado do que no Paraná, tomando os dois extremos da região.

Tempestades

Setembro, como mês da primavera climática, tende a ter um aumento dos episódios de tempo severo no Sul do Brasil. O risco é principalmente agravado com incursões tardias de ar frio à medida que a presença de ar quente se torna mais comum sobre o Sul do país com o fim do inverno. O encontro de massas de ar gera tempestades severas, sobretudo na chegada de frentes frias.

Com informações do Climatempo e MetSul Meteorologia

Foto: Fernando Oliveira/Arquivo MetSul

Em alta