conecte-se conosco

Litoral

Fenômeno maré alta é registrado em Paranaguá

Região do Centro Histórico ficou “alagada” na tarde de segunda-feira

Publicado

em

Na tarde de segunda-feira, 13, o fenômeno conhecido como “maré alta” foi registrado na região do Centro Histórico de Paranaguá. A maré alta é a subida da maré do oceano e rios acima do normal, devido a condições meteorológicas.

A região da Rua da Praia foi alagada e as imagens feitas na segunda-feira, 13, mostraram que a maré seguia enchendo aos poucos, mas que não havia acessado a rua onde veículos trafegam ao lado da Praça de Eventos Mário Roque.

Três dias antes e três dias depois da virada da Lua Cheia e da Lua Nova acontece a amplitude de maré

A maré alta chamou a atenção das pessoas que circulavam pelo Centro Histórico e elas aproveitaram para registrar o momento com várias fotos da região. 

Esse fenômeno também ocorreu no fim de semana e chegou a atingir alguns bairros de Paranaguá, como na Vila São Vicente e Emboguaçu. O fenômeno acontece devido à influência da maré astronômica e dos ventos do quadrante Sudoeste e Sul, que provocam empilhamento da água marinha na costa. Três dias antes e três dias depois da virada da Lua Cheia e da Lua Nova acontece a amplitude de maré.

No mês passado, a maré alta foi registrada no Centro Histórico da cidade. Naquela ocasião, a Prefeitura de Paranaguá divulgou que, devido a esse fenômeno, poderá haver o desligamento da energia elétrica na Praça Mário Roque. Ainda naquela oportunidade, a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsu) informou que a situação está sendo monitorada constantemente e, caso a subida ultrapasse o total de 1,7 metros, o desligamento deverá ocorrer devido ao cabeamento ser subterrâneo no local.

O fenômeno acontece devido à influência da maré astronômica e dos ventos do quadrante Sudoeste e Sul, que provocam empilhamento da água marinha na costa

A Marinha do Brasil comunicou na sexta-feira, 10, que a passagem de uma frente fria poderá afetar a faixa litorânea entre os estados de Santa Catarina e do Rio de Janeiro, com ventos de direção Oeste a Sudoeste, de até 60 km/h (40 nós), entre Itajaí (SC) e Guaratuba (PR). Além disso, houve registro de ondas, em alto mar, de direção Sudoeste a Sudeste, entre 3 e 4,5 metros, entre Laguna (SC) e Arraial do Cabo (RJ), da noite do dia 11 à noite do dia 13; e ressaca, com ondas de direção Sudoeste a Sudeste e altura de até 3 metros, entre Santos (SP) e Cabo de São Tomé (RJ), da tarde do dia 12 à noite do dia 13 de junho.

Em casos de maré alta, mar agitado e alagamentos, a Defesa Civil recomenda que se evite navegar e realizar a atividade da pesca, banhos de mar, praticar esportes náuticos, caminhar ou pedalar próximo da orla. Em casos de emergência, a população pode entrar em contato com a Defesa Civil nos telefones 153 e 199.

Confira as fotos: