Connect with us

Infraestrutura

Revitalização da Estação Ferroviária deve ser entregue em junho

Projeto prevê instalação de café e revistaria no edifício

Publicado

em

A revitalização da Estação Ferroviária de Paranaguá, um edifício que faz parte do patrimônio histórico e turístico do Paraná e do Brasil, deve ser entregue em junho. Segundo a Prefeitura, ainda não há data específica para uma cerimônia de reinauguração, em virtude da pandemia de Coronavírus e as medidas necessárias de isolamento social, porém a conclusão das obras possivelmente ocorrerá no próximo mês. Além da parte externa, que contou com retirada do tapume da obra na área frontal do prédio, a parte interna da Estação Ferroviária está com seu restauro quase finalizado, sendo futuramente um espaço gastronômico e cultural do município.

Em transmissão ao vivo em seu Facebook durante esta semana, o prefeito Marcelo Roque mostrou as obras externas, com piso, janelas, portas e móveis totalmente refeitos. “Em junho vamos entregar nosso cartão-postal para o povo parnanguara”, frisou.

Segundo a assessoria da Prefeitura de Paranaguá, a previsão é que a entrega da obra ocorra em junho, mas ainda não está fixada uma data específica, “tendo em vista que a cidade ainda continua com medidas de isolamento social devido à pandemia do Coronavírus”, complementa.

R$ 2,2 milhões de investimento

O investimento total feito na revitalização foi dividido entre a Prefeitura de Paranaguá e o Governo Federal, sendo um valor total de mais de R$ 2,2 milhões. “Houve investimento de R$ 435 mil de recursos do município e R$ 1,787 milhão do Governo Federal”, informa a assessoria.

Benfeitorias realizadas

Segundo a Secretaria Municipal de Planejamento, a restauração da Estação Ferroviária contou com a reconstrução completa do telhado, conforme projeto original, e a reabertura de um arco que havia sido fechado em alguma intervenção anterior. “Mudanças feitas foram em função da adaptação da edificação ao acesso de pessoas com restrições de mobilidade, como a instalação de rampa e sanitário acessível. Cabe ressaltar que todas as modificações foram aprovadas nos órgãos de proteção do patrimônio histórico e cultural”, informa a assessoria.

“Em relação ao mobiliário, foram restauradas a bilheteria central e o biombo de anteparo visual da entrada dos banheiros, que haviam sido consideravelmente danificados pela ação de vândalos e pela queda da cobertura principal. As portas e janelas originais foram restauradas, recebendo apenas pequenos enxertos pontuais onde estavam danificadas pela ação do tempo e ataques de pragas e vandalismo. O projeto prevê a instalação de um café e uma revistaria”, completa a prefeitura.

Sobre a possibilidade de o espaço contar com iniciativas de parceria público-privada para abertura de lanchonetes e outros estabelecimentos no local, o município afirmou que “esta é uma questão que ainda não está definida. A prefeitura não estimou ainda sobre a possibilidade da volta do trem de passageiros à localidade”, destacou.

Fotos internas Facebook Marcelo Roque