Connect with us

Infraestrutura

Governador inaugura novo berço e anuncia investimentos no Porto de Paranaguá

Governador e autoridades descerrando faixa de inauguração do novo berço 201

Publicado

em

Ampliação do berço 201 teve investimento de R$ 201,7 milhões 

Na tarde de terça-feira, 22, o governador Carlos Massa Ratinho Júnior esteve no cais do Porto de Paranaguá, quando inaugurou o novo berço do terminal, obra concluída e em operação que teve investimento de R$ 201,7 milhões da empresa pública Portos do Paraná e que irá aumentar a capacidade de movimentação em 140%. A modernização e prolongamento em 100 metros do berço permite que o Porto receba navios ainda maiores, que podem comportar até 80 mil toneladas de carga bruta, na categoria Post Panamax, algo que gera aumento de movimentação e, consequentemente, beneficia a economia e a geração de emprego em Paranaguá e no Paraná, segundo o Governo do Estado.

“É um aumento de capacidade de movimentação de carga no Porto de Paranaguá, que tem se transformado no porto mais eficiente do Brasil. Já são vistos os recordes que o Porto vem batendo desde o ano passado. Este investimento milionário no berço vai ampliar em 140% a capacidade, é um ganho ao Porto, estamos trabalhando há muito tempo nisso”, afirma o governador Ratinho Júnior. Segundo ele, a ampliação também vai ao encontro do crescimento do agronegócio no Paraná. 

Ampliação gera mais competitividade, emprego e renda para o Porto e população do litoral, segundo o governador

“Não é à toa que o Brasil está demonstrando ser este grande produtor de alimentos. A ideia é que o Porto de Paranaguá, que é o maior porto graneleiro da América do Sul, possa dar todo o atendimento que o interior precisa para poder exportar sua produção”, completa Ratinho Júnior.

O diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia da Silva, destacou que o novo berço traz um ganho logístico essencial para o crescimento do Porto. “Com isso, concedemos condição para novas empresas ou as empresas que aqui já operam se instrumentalizarem para operar cada vez melhor, com qualidade e preço competitivo”, ressalta, destacando o ganho em competitividade em comparação aos portos de Santos e de Santa Catarina, garantindo manutenção e ampliação dos operadores. “Todos esses investimentos visam a uma melhor atenção com a carga e mais competitividade frente aos outros portos”, diz.

Geração de emprego e renda para o litoral

Governador salientou que ampliação do Porto traz ganho logístico, mas também geração de renda e emprego para a população

O governador destacou que os investimentos que estão sendo realizados na Portos do Paraná trazem consigo um viés em prol da geração de emprego e renda para a população de Paranaguá e do litoral. “O Porto é a grande vocação econômica do nosso litoral e, em especial, de Paranaguá. A partir do momento que você tem um aumento de capacidade você precisa de novos equipamentos e tecnologias, mas atrás destes equipamentos é preciso de gente, de pessoas, de trabalhadores preparados para tocar todo este aumento de capacidade. Automaticamente, existe um ganho para a cidade de Paranaguá e o litoral que é justamente com novas contratações com esta ampliação”, afirma.

O berço 201 do Porto amplia o cais em 100 metros. Além do Paraná, a obra beneficia a exportação agrícola dos estados do Mato Grosso do Sul, São Paulo, Santa Catarina e Paraguai (Foto: Portos do Paraná)

“Paralelo a isso, temos a possibilidade, através da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), que já emitiu autorização de três novos portos no litoral, algo que passa por uma discussão de meio ambiente, mas faz com que o Paraná, automaticamente, retome esses investimentos no Porto e mais os privados que podem vir a acontecer no futuro. Isso faz com que o litoral e Paranaguá voltem a ser protagonistas na questão de logística portuária”, acrescenta, destacando a competitividade dos portos paranaense diante de outros terminais concorrentes em Santa Catarina e São Paulo.

Derrocagem

“Todos esses investimentos visam a um melhor carinho com a carga e mais competitividade frente aos outros portos”, afirma o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia

No evento, foi assinado contrato e a Ordem de Serviço para as obras de derrocamento submarino do maciço rochoso conhecido como Pedra da Palangana, algo que permitirá aprofundamento do canal de acesso para até 14,6m. De acordo com a Portos do Paraná, a obra terá investimento da empresa pública de R$ 23,2 milhões, gerando ganho estimado de um metro de profundidade, o equivalente a cerca de 7 mil toneladas de granéis ou 120 contêineres extras, por navio.

“Com isso, aumenta-se a capacidade de carga destes navios que chegam ao Porto para poder sair mais carregados”, ressalta o governador, destacando que as benfeitorias irão gerar ainda mais segurança na navegação e aumento da competitividade. 

Secretários destacam importância do novo berço para o Paraná

Secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, parabenizou equipe da Portos do Paraná e celebrou ganho em eficiência do terminal

O secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, parabenizou a Portos do Paraná e destacou a importância da escolha técnica de Luiz Fernando Garcia como diretor-presidente pelo governador. “A palavra de referência no dia de hoje é eficiência, que começou na escolha do governador em montar a sua equipe e trazer o Luiz, com a equipe que compõe o Porto e que trouxe um novo momento para os portos paranaenses com resultado sendo os números positivos repercutidos em toda a imprensa brasileira”, destaca. Sandro Alex destacou os avanços logísticos e modais obtidos em todo o Paraná, frisando que em 2021 um dos focos deverá ser a ampliação do modal ferroviário para trazer cargas ao Porto. 

“Aqui em Paranaguá e no litoral, a principal mudança é que o Porto passou a ser reconhecido como um indutor do crescimento”, destaca o secretário estadual de Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Márcio Nunes

“Aqui em Paranaguá e no litoral, a principal mudança é que o Porto passou a ser reconhecido como um indutor do crescimento. Por muito tempo a família do litoral enxerga o Porto de maneira diferente. Hoje o Porto é proativo e tem procurado ajudar a sociedade”, afirma o secretário estadual de Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Márcio Nunes, destacando a importância do desenvolvimento sustentável, com geração de emprego e renda, mas com respeito ao meio ambiente e às comunidades do litoral, algo exercido pela Portos do Paraná. 

Secretário de Estado da Agricultura, Norberto Ortigara, destacou a importância do Porto para o crescimento do agronegócio no Paraná

O secretário de Estado da Agricultura, Norberto Ortigara, destacou a importância do crescimento do agronegócio e da safra paranaense para o Brasil, mesmo durante a pandemia, algo que fortaleceu a economia estadual. “Foi importante o trabalho do Porto, dos caminhoneiros, do trem, das cooperativas, das trades e agricultores”, afirma, destacando o protagonismo da Portos do Paraná no cenário internacional. “Podemos e vamos crescer com este trabalho competente, com novos investimentos privados e públicos, tornando o que se espera de um Porto com eficiência, custo baixo, capacidade e rapidez”, destaca.

Pasa e investimento de R$ 117,7 milhões

“É um passo muito grande, não só para os associados da PASA, como também para o Porto”, afirma o presidente da Alcopar e representante da PASA, Miguel Rubens Tranin

Outro investimento privado anunciado no evento foi a assinatura pelo governador de autorização para que a empresa PASA (Paraná Operações Portuárias) realize investimentos de R$ 117 milhões no terminal paranaense. A Ordem de Serviço assinada tem como base a renovação do contrato de arrendamento que foi aditado em agosto, com validade até 2049 e previsão de aumento na capacidade do terminal de R$ 3,6 milhões de toneladas/ano para 6,7 milhões de toneladas/ano. Serão instalados um novo armazém e equipamentos para a modernização e continuidade da operação no Porto pela PASA.

“Será um novo berço com investimento em um armazém para 60 milhões de toneladas”, ressalta o presidente da Alcopar (Associação dos Produtores de Bionergia do Estado do Paraná) e representante da PASA, Miguel Rubens Tranin, destacando também a importância do novo shiploader. “Isso vai ampliar nossa capacidade de exportação de açúcar para cerca de 7 milhões de toneladas/ano. É um passo muito grande, não só para os associados da PASA, como também para o Porto de Paranaguá”, salienta.

“Este investimento da Pasa, que é milionário, vai ampliar bastante e ser um complemento do aumento de capacidade do Porto. São projetos que estão sendo pensados e hoje efetivados”, explica Ratinho Júnior. “Juntando os investimentos com os projetos de modernização do eixo de transporte e corredor de exportação de grãos, que a ideia é sair de mil toneladas/hora para 4 mil toneladas/hora com este projeto que está sendo feito pelo Porto. Vamos ampliar a capacidade para os próximos 20, 30 anos do Porto de Paranaguá em 65%”, completa o governador.

Capitania dos Portos e segurança na navegação

Capitão dos Portos do Paraná, Capitão de Mar e Guerra Rogerio Antunes Machado, ressaltou que ampliação respeitou as normas de segurança na navegação vigentes

“Em toda obra do Porto, a nossa preocupação maior é a segurança na navegação. Nesta ampliação, foram seguidos todos os critérios necessários para fazer a obra, bem como a dragagem para que navios de maior porte possam atracar. Com isso, a capacidade do Porto irá aumentar bastante e não podemos nunca descuidar da segurança, o que a Capitania continua sempre fazendo: o trabalho de verificação”, afirma o Capitão dos Portos do Paraná, Capitão de Mar e Guerra Rogerio Antunes Machado.