Connect with us

Educação

Governador anuncia volta das aulas presenciais no Paraná em fevereiro de 2021

“O Paraná foi o primeiro Estado do Brasil que conseguiu ter esta modelagem de ensino a distância atendendo mais de um milhão de alunos”, afirma Ratinho Júnior sobre o ano letivo de 2020 (Foto: Reprodução)

Publicado

em

Governador anuncia volta das aulas presenciais no Paraná em fevereiro de 2021

Aulas serão no modelo híbrido, mesclando alunos em ensino presencial e on-line. Retorno presencial não será obrigatório

Na tarde de terça-feira, 15, em coletiva virtual no Palácio do Iguaçu, o governador Ratinho Júnior, junto ao secretário de Estado da Educação, Renato Feder, e o ministro da Educação, Milton Ribeiro, anunciou a volta das aulas presenciais na rede pública de ensino no Paraná. O retorno acontecerá no dia 18 de fevereiro de 2021 e respeitará todos os protocolos sanitários da pandemia, funcionando no chamado modelo “híbrido”, em que parte dos alunos, de oito a 10 por sala de aula, poderá assistir às aulas presencialmente, e o restante acompanhará as aulas ao vivo pela Internet. Nenhum estudante será obrigado a retornar ao presencial ficando a decisão a critério dos pais e responsáveis. 

O governador ressaltou que a volta às aulas será feita com responsabilidade, planejamento e cuidado com relação à higienização, uso de máscara e distanciamento social.  “O mais importante é que este planejamento vai ao encontro do anseio e uma necessidade, primeiro dos jovens voltarem e ter uma rotina de convivência na escola com os amigos, colegas de classe e professores e, da mesma forma, os professores com os estudantes, colegas e diretores”, explica.

Ratinho Júnior destacou que em 2020 o governo do Paraná conseguiu implantar um ensino a distância que foi modelo em todo o Brasil, algo iniciado no dia 6 de abril pela TV aberta e Google Classroom. “O Paraná foi o primeiro Estado do Brasil que conseguiu ter esta modelagem de ensino a distância atendendo mais de um milhão de alunos”, explica.

Critérios para reabertura das escolas

Segundo o governador, há critérios técnicos e sanitários para definir a reabertura das escolas. “Quando nós fechamos as escolas em meados de março em 2020 não foi nem o governo que quis fechar, os pais pediram para fechar as escolas, pois era algo novo, todo mundo ficou assustado”, explica. “Depois fizemos as aulas de ensino a distância, algo que foi pioneiro e outros Estados fizeram esta modelagem”, complementa.

“Os jovens estão começando a ter problemas inclusive psicológicos pela não-convivência com alunos e professores. A ideia é sempre procurar o protocolo da saúde, mas sem necessidade de ser tão rígido, pois os jovens, infanto-juvenil, não têm tanto perigo quanto uma pessoa adulta, mas é necessário sempre manter uma vigilância”, explica.  O governador ressalta que continuamente serão analisados os índices de infecção da Covid-19 para garantir a segurança de todos. 

Secretário detalha modelo que será adotado em 2021

Segundo o secretário de Educação, Renato Feder, o retorno das aulas presenciais em 18 de fevereiro de 2021 funcionará por meio híbrido, em que os alunos que não têm acesso à tecnologia no Paraná, algo que representa cerca de 5% do total dos estudantes em todo o Estado, terão preferência para o retorno às salas de aula. “A sala normal terá de oito a 10 alunos, o restante acompanhará as aulas de suas casas”, explica. “Eles assistem às aulas deles, com o professor deles, ao vivo, onde o professor pode ver o rosto do aluno e interagir com ele”, completa.

Feder afirma que serão feitas escalas semanais de alunos que irão assistir às aulas presencialmente e on-line, com foco no distanciamento social e segurança de todos. O governador detalhou que será feito um investimento de cerca de R$ 70 milhões em equipamentos para transmissão on-line dos conteúdos nas salas de aula. “Investimento alto, mas necessário, que inclui televisão, câmera, computador, para fazer esta aula híbrida”, explica.

O secretário ressaltou que 21 mil salas de aula na rede pública do Paraná já contam com computador e estrutura para as aulas on-line. A ferramenta para transmitir as aulas será a mesma utilizada em 2020: o Google Meet. Além disso, todo um aparato de equipamentos de higiene e tecnologia será repassado às unidades de ensino para o retorno do ensino presencial. Além do uso obrigatório de máscara, será aferida a temperatura de todos os alunos e profissionais de educação atuantes nas escolas paranaenses. 

“Não vai ser obrigatório para os alunos irem à escola. Somente os pais que desejarem poderão autorizar o aluno ir à escola no sistema de revezamento, caso contrário o aluno deverá assistir on-line”, afirma Feder. O secretário destacou que outras novidades serão as disciplinas de Educação Financeira e Programação de Computador em 2021 na rede pública paranaense.

25 mil aulas por dia ao vivo 

O gestor da pasta de Educação ressaltou que 25 mil aulas on-line foram ministradas pelos educadores por dia ao vivo aos alunos paranaenses. “Todos os dias nossos professores davam aula via Google Meet”, reforça. “Os alunos no Paraná estudaram em média mais de três horas por dia durante a pandemia, isso foi uma constatação do DataFolha com milhares de famílias no Brasil inteiro”, afirma Feder.

“A expectativa é muito alta, estamos com muita demanda para o retorno dos alunos. Perguntaram para as escolas, a direção e a comunidade escolar, quantos gostariam de voltar e mais da metade afirmou que queria reabrir suas portas”, afirma o secretário.

Segundo Feder, a quantidade de alunos que não tem acesso a celular no Paraná é pequena, de cerca de 5%. “Se o aluno não tem Internet em casa, se chega o sinal, ele já acessa gratuitamente, pois é o governo que paga”, explica. “Esses 5% terão a preferência. Em algumas escolas este índice é maior do que 5%, mas iremos atender todos os alunos, isso é possível”, finaliza.

Ministro da Educação

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, que estava cumprindo agenda em Curitiba na entrega junto ao governador de 45 ônibus escolares para serem usados prioritariamente por estudantes residentes em áreas rurais e ribeirinhas do Paraná, participou da coletiva e destacou a importância do diálogo junto ao Paraná. “Nosso governador está com um excelente trabalho, sobretudo porque ele anda em um caminho da seriedade e honestidade”, afirma, destacando a confiança do presidente Jair Bolsonaro na gestão de Ratinho Júnior. 

Terceira colocação no IDEB

Ratinho Júnior destacou na coletiva que em 2020 o Paraná alcançou o terceiro lugar entre todos os Estados no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). “Queremos avançar ainda mais no ano que vem para disputar a primeira posição nos próximos anos”, afirma. Outro ponto destacado foi a abertura de 800 vagas para inscrição de policiais que atuarão nas escolas cívico-militares do Paraná em 2021, bem como a abertura de 100 vagas até o dia 15 de janeiro para o projeto “Ganhando o Mundo”, no qual estudantes da rede pública poderão fazer intercâmbio por seis meses na Nova Zelândia. “É um País muito desenvolvido, referência na educação e já estamos abrindo as inscrições para 100 alunos da rede pública fazerem este intercâmbio em agosto de 2021”, finaliza.

Leia também: Prova do PSS para professores é transferida para 10 de janeiro