conecte-se conosco

Educação

Biólogo percorre a América do Sul de bicicleta com projeto Ciclosaber

Brunno Magalhães está no litoral do Paraná

Publicado

em

Foto: Divulgação/Brunno Magalhães - Ciclosaber

Muito se fala sobre a necessidade de fazer a diferença por um mundo melhor em prol do acesso à educação e da preservação do meio ambiente. No entanto, muitas vezes isso fica apenas no discurso, não indo para a prática, algo que não ocorre com o biólogo Brunno César da Silva Magalhães. O professor e ciclista criou em 2021, em meio à pandemia, o projeto “Ciclosaber”, onde ele irá percorrer o Brasil e a América do Sul ministrando aulas de ciência em escolas, conhecendo diversos ecossistemas na prática com produção de vídeo-aulas, bem como incentivando o uso da bicicleta como forma de transporte, esporte e lazer, mostrando o ciclismo como um instrumento de transformação social. Brunno percorre atualmente o litoral do Paraná, onde ministrará aulas a alunos de unidades de ensino de Paranaguá e região. 

“A ideia surgiu durante a pandemia, em 2021. Escrevi o projeto durante o ano de 2021 e comecei a realizar em janeiro de 2022. Saí de Bela Vista de bicicleta, cruzei o Triângulo Mineiro, o interior de São Paulo e entrei no Paraná por Superagui”, explica o biólogo, que é de  Bela Vista de Goiás-GO, mas “atualmente moro na bicicleta (risos)”, completa. Segundo Magalhães, os objetivos principais do Ciclosaber é a divulgação da ciência em escolas, o incentivo ao uso da bicicleta como meio de transporte, lazer e esporte, para crianças e adultos, bem como mostrar o quanto o modal ciclístico pode fazer a diferença em prol de uma sociedade melhor. 

Segundo Brunno, ele irá viajar a América do Sul coletando materiais de fotos, gravações e entrevistas, com o intuito de produzir vídeo-aulas de forma gratuita para escolas cadastradas. “Os temas dessas aulas estarão sempre relacionados aos Biomas, Biodiversidade, Cultura e História dos lugares percorridos. Para que os vídeos tenham melhor qualidade, conto com a ajuda de outros dez professores pesquisadores de diversas áreas do conhecimento que ficam responsáveis pela correção dos roteiros, para que o produto final fique confiável”, afirma.

No site www.ciclosaber.com.br constam todos os integrantes do projeto, bem como estará em breve as vídeo-aulas produzidas, com uso autorizado para professores que quiserem usar o material em sala de aula. “Para se inscrever, basta preencher o nosso formulário Google no link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSce8zJIxsdFuqlmn96tceXi1Sfd1HefvkHcvCnIxESlckQ5YQ/formResponse “, destaca.  “Outra forma de ajudar o projeto a crescer, é compartilhando e incentivando estudantes e outros integrantes da educação a conhecerem as nossas redes sociais”, detalha, destacando o Instagram do projeto que é o @ciclosaber e o seu pessoal que é o @mundobrunno. 

Professor ressalta que ideia do projeto surgiu na pandemia em 2021, indo para a prática em 2022 já percorrendo Minas Gerais, São Paulo e Paraná (Foto: Divulgação/Brunno Magalhães – Ciclosaber)

Litoral

“Entrei no Paraná por Superagui, passei por Guaraqueçaba e atravessei para Paranaguá. Ainda não sei ao certo quais escolas vou visitar, estou em contato com algumas pessoas da Secretaria de Educação e com o Núcleo para as escolas estaduais. Até agora, irei no Colégio Diocesano Leão XIII”, afirma o biólogo. Segundo ele, o próximo vídeo que ele irá produzir terá o tema Cultura Oceânica. “Como as localidades daqui lidam com o mar, a dinâmica de vida entre outros pontos, Paranaguá é um lugar chave para isso, já que tem o porto internacional”, completa. O ciclista afirma que ficará até a quarta-feira, 30, em Paranaguá, e posteriormente irá percorrer outros municípios do litoral do Paraná. 

Brunno Magalhães ressalta que vídeos e materiais escritos serão feitos sobre os locais percorridos, incluindo Paranaguá e municípios do litoral. O foco será principalmente o meio ambiente, com o contexto histórico e cultural também sendo abordado. “Isso é de suma importância para as pessoas locais e para quem vai assistir de fora, já que temos escolas de quase todas as regiões brasileiras inscritas. Esse material pode ser utilizado como a escola quiser, com recortes dos vídeos, por exemplo”, destaca.

Como ajudar

Pessoas e empresas podem colaborar com a iniciativa do Ciclosaber. “O projeto ainda não possui financiamento, então as pessoas podem colaborar de forma voluntária através do pix, que fica disponível no Instagram @ciclosaber e @mundobrunno. Além disso, todos podem ajudar de maneira gratuita compartilhando nossas redes e divulgando o projeto”, finaliza Brunno Magalhães.