conecte-se conosco

Editorial

O uso de máscaras e a necessidade de prevenção

Apesar de não haver mais a obrigatoriedade, é necessário que a população seja ponderada e cautelosa quanto às outras medidas sanitárias que previnem a Covid-19

Publicado

em

editorial

Até o dia 21 de março, 17 Estados brasileiros mais o Distrito Federal já tinham flexibilizado o uso de máscaras de proteção contra a Covid-19. Recentemente, o Governo do Paraná passou a não exigir mais o item em ambientes abertos e fechados. O decreto foi publicado na terça-feira, 29, e a utilização ficou recomendada apenas em casos específicos como para professores de creches, nas quais possuem crianças abaixo de 5 anos e que, portanto, ainda não tomaram as doses da vacina; além de agentes comunitários de saúde e gestantes, entre outros.

No dia 16 de março, o Estado do Paraná derrubou a obrigatoriedade da máscara em locais abertos. Dez dias depois, como divulgado, os números da pandemia seguiram em queda, tanto em quantidade de casos confirmados como em internamentos. Este é, certamente, um bom indicativo para que se tomasse a decisão de não exigir mais o item em espaços fechados.

A medida foi comemorada por muitas pessoas, mas ainda há de se levar em conta algumas considerações. Apesar de não haver mais a obrigatoriedade, é necessário que a população seja ponderada e cautelosa quanto às outras medidas sanitárias que previnem a Covid-19 e também outras doenças. A disponibilização do álcool em gel nos estabelecimentos, e até mesmo em casa, torna-se ainda mais importante, assim como a limpeza correta e frequente das mãos. Hábitos que não deveriam mais sair da rotina da população.

Mesmo com a queda da obrigatoriedade, é relevante que os paranaenses estejam atentos às recomendações de uso em alguns locais, como consta no decreto. Da mesma forma, é livre o uso para pessoas que ainda não se sentem confortáveis com a pandemia e também para pessoas que apresentem algum sintoma respiratório. Mais uma vez a atitude individual em prol do coletivo fará a diferença para manter esses números em queda no Estado.

Continuar lendo
Publicidade