conecte-se conosco

Editorial

Mais crianças serão protegidas da Covid-19

A CoronaVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan, foi considerada como a mais segura para o público pediátrico pela Anvisa

Publicado

em

editorial

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, nessa semana, a aplicação da vacina Coronavac, contra a Covid-19, para crianças da faixa etária de três a cinco anos. A notícia anima pais que aguardavam pela imunização das crianças dessa idade, já que muitos já frequentam escolas e outros ambientes e, portanto, também podem ser infectadas.

As pesquisas para aprovar a liberação, foram realizadas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e Instituto Butantan, além de entidades internacionais. A aplicação das doses para este público é importante para acompanhar a imunização da população em geral no País. Muitos jovens e adultos já puderam tomar as doses recomendadas para reforçar a proteção e as crianças não poderiam ficar para trás nesse aspecto.

Nesta época, já há um aumento considerável das doenças respiratórias que resultam em mais crianças doentes e hospitalizadas. Embora as estatísticas mostram que os adultos são as maiores vítimas da Covid-19, as crianças também podem desenvolver formas graves da doença e, por isso, precisam estar protegidas.

A CoronaVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan, foi considerada como a mais segura para o público pediátrico pela Anvisa. Com crianças acima de cinco anos já vacinadas no País e com os resultados mostrando claramente que a dose é segura e eficaz, não há motivos para haver resistência por parte da população que ainda tem dúvidas sobre a segurança da aplicação e, principalmente, pela necessidade e importância que ela representa.

Agora, cabe ao Ministério da Saúde decidir quando a CoronaVac entrará no Programa Nacional de Imunizações e chegue, efetivamente, até o público alvo.  Com mais de dois anos de pandemia, o que se espera é que as doses cheguem rapidamente aos municípios para que essa etapa inicie e as crianças dessa faixa etária sejam, finalmente, protegidas.

Publicidade






Em alta