Connect with us

Economia

Supermercados mantêm a expectativa de venda dos chocolates

Estimativa é de crescimento de 8%

Publicado

em

A Associação Paranaense de Supermercados (Apras) continua apostando no crescimento de 8% nas vendas em volume dos produtos de Páscoa, em virtude de os preços estarem mais baixos que no ano anterior. Alguns estabelecimentos aderiram a promoções como 50% de desconto na compra do segundo ovo de Páscoa da mesma marca e tipo. A produção de ovos artesanais também segue com as vendas para atender a época que é uma das mais fortes para as confeiteiras.

Segundo a Apras, os supermercados anteciparam a montagem das parreiras de ovos de chocolate. “Considerada uma das principais datas para alavancar as vendas do varejo, a Páscoa também é uma oportunidade para que os supermercados incrementem as vendas de produtos como o bacalhau, vinhos, peixes, crustáceos, azeites, refrigerantes e cervejas. Estes itens também devem ter um crescimento de aproximadamente 8% nas vendas”, divulgou a Apras.

Quanto ao comportamento do consumidor, os ovos mais vendidos são os específicos para crianças, algo que tem se repetido nos últimos anos em função das surpresas e brinquedos acrescentados aos produtos.

Produção artesanal

Ana Maria Ikonomou Nicodemos produz ovos de Páscoa em sua casa há 10 anos, em Paranaguá. Assim como nos anos anteriores, ela se preparou em janeiro com a compra de todos os itens que utiliza para a produção caseira. Ela afirma que se assustou com a pandemia da Covid-19 coincidir com o período de Páscoa e o impacto que poderia causar nas encomendas.

“Todas as coisas que adquiri para a Páscoa foram em janeiro, quando ainda não havia estourado a questão da pandemia. Eu acreditava que muitas das encomendas que haviam sido finalizadas, acabariam canceladas, mas nenhuma foi. Porém, precisei estender a data de pedidos, pois muitos clientes esperaram para pedir na última semana”, contou Ana.

No caso dela, não houve questionamentos sobre a higiene e o cuidado para evitar a transmissão do vírus nas embalagens e nos chocolates, pois muitos clientes são antigos e já conhecem o trabalho. “A questão de higiene na produção de todos os itens é feita cuidadosamente desde sempre, isso não mudou na minha cozinha, a saúde e qualidade dos produtos para os clientes sempre foi o foco. Os meus clientes não questionaram, pois 96% deles são de anos ou eventos anteriores. Eles sabem que eu sou bem exigente com essas coisas. A maioria deles conhecem o meu espaço de trabalho, mesmo sendo em casa”, relatou Ana.

Desta forma, sua produção não foi alterada em função do Coronavírus. Pelo contrário, com as pessoas mais tempo em suas casas, o número de pedidos de bolos, sobremesas e mesmo dos ovos de Páscoa aumentou. “O diferencial foi não ter cobrado taxa de entrega, saindo com rota a partir das 15h, todos os dias”, concluiu Ana.