Connect with us

Coronavírus

Teleconsultas com médicos podem agilizar atendimento na pandemia

Portaria n.º 467 do Ministério da Saúde autorizou o teleatendimento dos pacientes pelos médicos durante a pandemia da Covid-19 (Foto: Telemedicina Morsch/Reprodução)

Publicado

em

Advogada Renata Farah explica que medida colabora no controle de casos 

A necessidade de ampliação do atendimento aos casos suspeitos e confirmados do novo Coronavírus no Brasil fez com que, em virtude do momento de emergência sanitária, o Ministério da Saúde, por meio da Portaria n.º 467, autorizasse a realização de teleconsultas entre médicos e pacientes em um ambiente de tecnologia de comunicação e informática. A intenção é o atendimento a pacientes com suspeita ou confirmação da Covid-19, bem como sanar dúvidas dos cidadãos. A advogada Renata Farah, especializada em Direito Médico e Saúde, explicou como funciona o ramo da telemedicina, que já é regulamentado no Brasil por meio do Conselho Federal de Medicina (CFM), e quais as regras para que o profissional atenda de forma remota o paciente.

Segundo a advogada, a telemedicina é o ato pelo qual o profissional exerce atividade médica com o uso da tecnologia e está regulamentada, como regra geral, na Resolução n.º 1.643/2002 da CFM. “Nesse momento de emergência sanitário foi permitida, em caráter excepcional e temporário pela Portaria 467 do Ministério da Saúde, a realização da teleconsulta entre o médico e o paciente em um ambiente de tecnologia de comunicação e informática. O atendimento não presencial permite maior rapidez na assistência à saúde do paciente sem, no entanto, desobedecer às ordens de isolamento social para que haja eficácia na diminuição do contágio”, explica Renata. 

De acordo com a operadora do Direito, a regulamentação é importante e se dá para que a conduta de atendimento por teleconsulta não caracterize uma infração médica do profissional diante do Conselho Regional de Medicina. “E, principalmente, amplia o acesso ao atendimento sem colocar o médico e o paciente em risco de exposição em ambiente externo para a realização de consulta”, reforça. 

Informação e combate a fake news

Para a advogada Renata Farah, “o atendimento não presencial permite maior rapidez na assistência à saúde do paciente sem desobedecer às ordens de isolamento social”  (Foto: Divulgação)

“A relação médico-paciente é a melhor forma de obter a orientação correta e não considerar qualquer informação que recebe por meio dos aplicativos de mensagem ou redes sociais. Assim, qualquer dúvida ou orientação de saúde deve ser feita diretamente com o médico assistente”, ressalta a advogada, destacando que em um período de pandemia em que, além do vírus, as notícias falsas se proliferam nas redes sociais, a orientação técnica do médico aos cidadãos é essencial. 

Preço da consulta

Segundo a jurista, ainda não se estabeleceu permissão ou proibição da cobrança de valores para a teleconsulta. “Assim, fazendo um paralelo ao atendimento presencial oneroso, não vemos óbice para que haja o pagamento pela consulta realizada por meio da telemedicina. É importante lembrar que as regras do atendimento, tais como meio utilizado, duração, retorno e pagamento, devem ser estabelecidas antes da consulta, por escrito e com a aceitação do responsável pelo paciente. O valor estabelecido fica a critério do médico, que deve também fazer a evolução da teleconsulta no prontuário e preservar as regras de sigilo e proteção de dados”, explica Renata.

Papel do advogado durante a pandemia

Com relação ao atual momento de pandemia do novo Coronavírus e a questão do Direito à Saúde, a advogada afirma que os operadores de direito devem pensar na coletividade e não apenas em demandas individuais. “A situação é excepcional e temos que ponderar bem o ajuizamento de demandas relacionadas à falta de materiais, equipamentos, exames de diagnósticos e leitos, seguindo sempre as regras dos protocolos de tratamento e orientações das autoridades de saúde”, finaliza Renata Farah. 

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.