conecte-se conosco

Direito & Justiça

Saiba como identificar uma situação de assédio sexual no ambiente de trabalho

Mulheres são alvos deste tipo de crime que deve ser denunciado

Publicado

em

No mês em que se celebra o Dia Internacional da Mulher, mais do que celebrar a data, é necessário repassar o cenário enfrentado pelas mulheres no dia a dia, refletindo sobre a necessidade de evolução social e respeito às diferenças. Nesta esfera, torna-se pertinente abordar o ambiente de trabalho onde, até hoje, mesmo com todos os avanços trabalhistas e humanitários, a mulher acaba enfrentando, em muitos casos, situações de assédio sexual. A advogada Lisiane Mehl Rocha, pós-graduada em Direito e Processo do Trabalho, com 20 anos de atuação, explica sobre este tipo de crime, como é possível denunciar, qual a importância da obtenção de provas e como o empregador pode prevenir este tipo de conduta criminosa. 

“Existem duas formas comuns de assédio sexual no ambiente de trabalho: uma é por intimidação, com o objetivo de prejudicar a atuação da pessoa no trabalho ou criar uma situação ofensiva, e a outra é por chantagem, que consiste em uma exigência apresentada por superior hierárquico a subordinado, para que preste atividade sexual, sob pena de demissão ou qualquer benefício”, explica a jurista.

Segundo Lisiane, é importante destacar que o assédio sexual é tipificado como crime pelo Código Penal (CP), no artigo 216-A. A norma prevê o seguinte: “Constranger alguém com o intuito de obter vantagem ou favorecimento sexual, prevalecendo-se o agente da sua condição de superior hierárquico ou ascendência inerentes ao exercício de emprego, cargo ou função. Pena: detenção de 1 a 2 anos”, informa o CP. 

Assediante pode ficar até dois anos preso, afirma a advogada Lisiane Mehl Rocha

“Logo, a mulher estará frente a uma situação de assédio, sempre que for constrangida por comentários de conotação sexual dentro do ambiente de trabalho que a coloquem em situação constrangedora, ou for alvo de convites/propostas sexuais (chantagem) por parte do empregador ou seu superior hierárquico, com ameaça de demissão ou promessa de vantagens”, afirma a advogada.

Comprovação de assédio e prevenção pelo empregador

Segundo a jurista, para que se comprove o assédio, é fundamental que a vítima reúna provas “como mensagens de WhatsApp e/ou e-mail, como também o depoimento de pessoas que presenciaram os fatos”, completa. “É importante também que a vítima denuncie o assédio, para evitar que outras mulheres passem pela mesma situação e para perpetuar esse comportamento tóxico dentro do ambiente de trabalho”, afirma a advogada.

“Cabe ao empregador prevenir que isso ocorra dentro da empresa e zelar por um ambiente saudável, podendo constituir “Código de Ética” e Regulamentos internos, documentos que vão dispor sobre o assunto (assédio) e principalmente quais as penalidades a quem infringir tais regras. Empresas mais organizadas possuem, além dos documentos mencionados, Canal de Denúncia, através do qual a colaboradora que foi vítima de assédio pode narrar os fatos ocorridos – de forma confidencial – e pedir que sejam tomadas as providências necessárias”, afirma Lisiane. 

A advogada reforça que, além de efeitos trabalhistas e civis, com possibilidade de pagamento de indenização à vítima, o autor do assédio poderá ser responsabilizado na esfera penal. “O assediante estará sujeito à consequência criminal de seus atos, sujeito à pena de 1 a 2 anos de detenção”, finaliza.

Leia também: Paraná registrou aumento de 3,8% nos inquéritos de feminicídio em 2020

Continuar lendo
Publicidade

Em alta

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.